Falta de incentivos deixa escolas sem professores

  • ECO
  • 4 Outubro 2020

Há 951 horários por preencher devido à falta de candidatos para a vaga. A falta de incentivos financeiros estará a afastar os docentes.

Escassas três semanas após o arranque das aulas já há milhares de alunos sem professor. Segundo avança o Correio da Manhã (acesso pago), neste domingo, no final da semana passada estavam por ocupar um total de 951 horários para professores, sendo que em alguns casos, há escolas a alertar que provavelmente será difícil colmatar as baixas e as faltas.

Do total de 951 horários por preencher, 136 são de horários completos. “O problema é que há 767 horários que já andaram nas reservas de recrutamento, ou seja, ficaram por preencher por falta de candidatos”, explicou Vítor Godinho, da Fenprof, àquele jornal, acrescentando que o problema “está a chegar mais cedo do que em 2019”.

A falta de incentivos financeiros, o que torna a profissão pouco atrativa, é apontada como uma das razões para a falta de professores, situação que acaba por tornar a Grande Lisboa e o Algarve nas regiões que apresentam a situação mais grave. “Há muitos horários incompletos e os professores fogem das vagas porque não rende”, diz Manuel Pereira, presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Falta de incentivos deixa escolas sem professores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião