Luiza Fragoso Teodoro é a nova ligação da MetLife aos mediadores em Portugal

  • ECO Seguros
  • 7 Outubro 2020

A companhia criou uma nova direção em Portugal para gerir o canal de brokers e mediadores independentes de marcas e nomeou a gestora com mais de 20 anos de experiência em distribuição de seguros.

A MetLife nomeou Luiza Fragoso Teodoro como nova diretora de Distribuição Independente para Portugal. Fará parte do Comité da Direção e será a responsável pela relação da MetLife com o canal de Brokers e Mediadores não ligados em Portugal.

Luiza Fragoso Teodoro será a responsável pela relação da MetLife com o canal de Brokers e Mediadores não ligados em Portugal.

“A MetLife detém neste momento uma posição de liderança e ambiciosos objetivos empresariais no mercado português, também centrados no crescimento dos canais de Distribuição de Corretores Individuais, destaca Oscar Herencia, Diretor Geral da MetLife na Ibéria e Vice-Presidente do Sul da Europa, sublinhando que a companhia decidiu criar, pela primeira vez, esta função de direção e que “pela sua experiência, capacidade de liderança, e provas dadas, a Luiza Fragoso é a escolha certa para o cargo”, conclui.

Licenciada em Economia pela Nova SBE, Luiza Fragoso conta também com formação em marketing e liderança pela mesma universidade. Luiza Fragoso entrou em 2018 na MetLife Portugal, tendo liderado a reestruturação do canal de Distribuição de Corretores Individuais, que – segundo a companhia – registou um forte crescimento nas vendas nessa área.

Luiza Fragoso Teodoro possui experiência de mais de 20 anos em liderança e gestão de redes de agentes, ligados e independentes. Antes da sua entrada na MetLife desenvolveu todo o seu percurso profissional no setor segurador, desempenhando diferentes cargos de gestão comercial na Tranquilidade, liderou equipas comerciais direcionadas para corretores, dinamizou o negócio do canal banca, de seguros de Vida e empenhou-se na formação de agentes, função que também desempenhou no Grupo Champalimaud.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Luiza Fragoso Teodoro é a nova ligação da MetLife aos mediadores em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião