Seis startups selecionadas para o Cuatrecasas Acelera iniciam bootcamp digital

Os projetos oferecem "soluções inovadoras e juridicamente desafiantes, com o foco em Legaltech, Fintech e Deeptech", segundo comunicado do escritório.

A quinta edição do Cuatrecasas Acelera, o programa de aceleração da Cuatrecasas que já apoiou mais de 30 startups a desenvolverem os seus projetos, arrancou com um primeiro bootcamp. Durante as sessões, que começaram na terça-feira e decorrem até esta quarta-feira, em formato 100% online, as seis startups selecionadas têm a oportunidade de conhecer a equipa de mentores que os acompanhará durante todo o programa de aceleração, assim como participar em workshops e aulas jurídicas dadas por sócios, profissionais da Cuatrecasas e especialistas do ecosistema empreendedor.

“Nestes três dias, começámos a trabalhar nas necessidades e desafios regulatórios e legais de cada uma das startups. Também prestamos assessoria em Propriedade Intelectual, Laboral, Fiscal, Societária e Comercial, para validar os aspectos principais em cada uma destas áreas”, explica Francesc Muñoz, CIO da Cuatrecasas. Para além disso, destaca que nesta edição disponibilizaram-se todas as plataformas e ferramentas digitais necessárias para manter, em formato online, o mesmo nível das edições anteriores. “Organizámos atividades de networking online com especialistas do ecossistema e startups Alumni do Cuatrecasas Acelera que decorrerão durante os quatro meses do programa”, afirma Muñoz.

Como novidade, nesta edição a consultora Gellify acompanhará também as startups na validação e desenvolvimento dos projetos. Esta consultora trabalhou, a par da Cuatrecasas, no desenho das dinâmicas de negócio que são transmitidas no bootcamp e que têm como objetivo tratar de aspetos-chave que beneficiem no crescimento e desenvolvimento dos empreendedores e das startups. Durante a sessão “Know your Business and Legal Mentor”, a consultora e a Cuatrecasas apresentam a rede de especialistas e a equipa de mentores que apoiarão as startups durante o programa. Esta última é formada pelos advogados da Cuatrecasas Elisenda Baldrís, Álvaro Bourkaib, Jorge Canta, Isabel Gandoy, Jorge Monclús e Diana Rivera.

Projetos seleccionados:

  • PARALLEL (Legaltech): plataforma que ajuda a obter documentos e respostas de clientes de forma atempada e sem cadeia de emails. O seu design simples agiliza os fluxos de trabalho e o intercâmbio de documentação de uma forma organizada.
  • MYDATAMOOD (Legaltech): startup nascida com o objetivo de revolucionar o ecossistema da gestão e monitização de dados pessoais (de contacto) que as empresas reclamam para o desenvolvimento dos seus planos comerciais, gestão de clientes e estratégias de marketing.
  • LENDMARKET (Fintech): Primeira plataforma em Espanha do mercado secundário de dívida corporativa.
  • MENHIR FINANCIAL (Fintech): Plataforma que trabalha com bancos, fundos e servicers para entender como distribuir da maneira mais eficiente os NPLs e assim maximizar o rendimento destes ativos. Para além disso, desenvolveu uma série de modelos baseados em Inteligência Artificial que compreendem a forma como empréstimos garantidos são recuperados e, mediante uma valoração do intangível, desenha um plano de recuperação óptimo para uma carteira.
  • ALL READ MACHINE (Deeptech): Empresa que desenvolve soluções baseadas em deep learning para detetar e digitalizar textos, códigos e símbolos em redes de fornecimento.
  • BIOMETRICVOX (Legaltech): Startup de tecnologia aplicada, centrada no desenvolvimento de sistemas de software complexos baseados em Inteligência Artificial, que giram em volta da biometria da voz.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seis startups selecionadas para o Cuatrecasas Acelera iniciam bootcamp digital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião