Portugal quer até 2.500 milhões em dívida de curto prazo até ao fim do ano

IGCP vai continuar com leilões de obrigações do Tesouro, mas tem já definido o montante pretendido em títulos de curto prazo. Deverá também voltar às OTRV.

Portugal vai continuar a realizar leilões de dívida de longo prazo neste último trimestre do ano, mas fará apenas duas operações do género no que respeita aos títulos de curto prazo. IGCP pretende até 2.500 milhões em bilhetes do Tesouro.

De acordo com o programa de financiamento do Estado, a agência liderada por Cristina Casalinho pretende realizar dois leilões duplos de títulos de dívida com maturidade até 12 meses, um a 21 de outubro e outro a 18 de novembro.

Na primeira destas duas operações emitirá títulos com prazo de três e 11 meses, já na segunda fará leilão com maturidades a seis e 12 meses. Em cada um deles, o montante indicativo varia entre 1.000 e 1.250 milhões de euros.

Adicionalmente, o IGCP “prevê emissões de Obrigações do Tesouro através de leilões, sendo esperadas colocações de 1.000 a 1.250 milhões de euros por leilão”, diz em comunicado. “Os leilões de OT terão a participação dos Operadores Especializados de Valores do Tesouro”, nota.

O IGCP deverá ainda realizar neste último trimestre do ano uma emissão de dívida de longo prazo para os investidores de retalho, através das Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV) num montante de 1.000 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal quer até 2.500 milhões em dívida de curto prazo até ao fim do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião