Transferências bancárias imediatas para Zona Euro possíveis a partir de hoje

  • Lusa
  • 14 Outubro 2020

Nesta fase, "é possível realizar transferências imediatas de e para 14 prestadores de serviços de pagamento nacionais, que se encontram ligados a cerca de 4000 bancos europeus".

As transferências bancárias imediatas estão disponíveis para a Zona Euro a partir desta quarta-feira devido à ligação do sistema nacional ao europeu, divulgou o Banco de Portugal (BdP).

“A partir de hoje […] será possível efetuar transferências imediatas pan-europeias com a mesma facilidade com que se efetuam as transferências imediatas nacionais”, pode ler-se num comunicado divulgado esta quarta-feira pelo banco central.

Segundo o BdP, a possibilidade esta quarta-feira anunciada deve-se à “ligação da solução nacional ao TIPS – TARGET Instant Payment Settlement, o sistema disponibilizado pelo Eurosistema para a realização de transferências imediatas a nível pan-europeu”.

“Neste momento de arranque, é possível realizar transferências imediatas de e para 14 prestadores de serviços de pagamento nacionais, que se encontram ligados a cerca de 4000 bancos europeus, em Espanha, Alemanha, França, Itália, Áustria, Letónia e Países Baixos”, de acordo com o Banco de Portugal.

A instituição ressalva ainda que “a adesão ao TIPS é facultativa por parte dos prestadores de serviços de pagamentos, pelo que, numa primeira fase, nem todas as instituições ativas no mercado de serviços de pagamento de retalho nacional e europeu irão disponibilizar esta solução aos seus clientes”.

“Espera-se, no entanto, um gradual aumento de cobertura ao longo dos próximos meses, tanto ao nível das instituições participantes, como dos segmentos e canais em que o serviço é disponibilizado”, de acordo com o BdP.

A instituição liderada por Mário Centeno lembra que “desde 18 de setembro de 2018 que é possível realizar transferências imediatas em Portugal”, através do Sistema de Compensação Interbancária (SICOI), gerido e regulado pelo supervisor bancário.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Transferências bancárias imediatas para Zona Euro possíveis a partir de hoje

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião