Fiscais das secretas suspeitos de crimes corrupção

  • ECO
  • 15 Outubro 2020

Presidente e o próprio Conselho de Fiscalização dos serviços de informações estão a ser investigados pelo Ministério Público. Estão em causa suspeitas de violação de segredo de Estado e corrupção.

O Ministério Público está a investigar o presidente e o próprio Conselho de Fiscalização dos serviços de informações portugueses. Em causa estão suspeitas de violação de segredo de Estado e eventuais crimes de corrupção, avançou aSábado (acesso pago).

Abílio Morgado que está a presidir o Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa (CFSIRP), desde dezembro de 2017, é um dos principais suspeitos num inquérito sob investigação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e da Polícia Judiciária (PJ).

Abílio Morgado tem 58 anos, é licenciado em Direito pela Universidade Católica e desempenhou durante cerca de 20 anos altos cargos em quatro governos liderados pelo PSD e em duas presidências da República. Chegou a ser assessor, chefe de gabinete, secretário de Estado da Defesa e da Administração Educativa, consultor para assuntos de Segurança Nacional do Presidente Cavaco Silva e secretário do Conselho de Estado. Atualmente é presidente o Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações da República Portuguesa e é neste cargo que está a ser acusado de práticas ilegais.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fiscais das secretas suspeitos de crimes corrupção

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião