Turismo vai ensinar operadores a beneficiarem do aumento da procura no interior

  • Lusa
  • 22 Outubro 2020

O Turismo de Portugal vai criar um programa para empreendedores aprenderem a qualificar a oferta turística, adaptando-a à identidade de cada território.

O Turismo de Portugal (TP) lança no sábado, em Portalegre, um programa para empreendedores aprenderem a qualificar a oferta turística, adaptando-a à identidade de cada território, através da valorização dos produtos e dos serviços endógenos, foi anunciado esta quinta-feira.

O objetivo, segundo um comunicado do TP, passa por “preparar empreendedores para o interior de Portugal, que saibam aproveitar o aumento de procura turística que estes territórios registaram no último verão, na sequência da pandemia”. Trata-se do programa Green Up, promovido em parceria com a empresa Territórios Criativos, dirigido a escolas de Hotelaria e Turismo de todo o país, para ensinar a valorizar os produtos e os serviços endógenos, a sustentabilidade dos territórios e a promover a economia circular.

O interior de Portugal tem revelado um conjunto de regiões quase imune à pandemia, o que aumentou a sua competitividade enquanto território e lhe valeu uma primavera e um verão com uma procura histórica em termos de turismo e de restauração”, salienta Luís Matos Martins, diretor executivo da Territórios Criativos.

Para o responsável, “esta mais-valia sanitária tem de ser posta ao serviço da fixação de pessoas nos seus territórios de origem e da aceleração da economia local, criando novas oportunidades no setor do turismo: que é exatamente isso que o Green Up irá promover e desenvolver”. “O aumento de procura turística no interior só será bem aproveitado por novos empreendedores se os investimentos potenciarem os produtos e os serviços locais, ou seja: se qualificarem a oferta turística adaptando-a à identidade de cada território”, sublinhou.

Segundo Luís Matos Martins, “isso implica lógicas de economia circular e de sustentabilidade, seguindo os objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pelas Nações Unidas, pois só com essas lógicas se conseguirá qualificar uma oferta turística que seja competitiva e sustentável nos tempos em que vivemos”.

O Green Up é apresentado no sábado na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, a partir das 11:00, e, entre 02 e 30 de novembro, irá circular por mais 11 escolas de Hotelaria e Turismo para selecionar 70 empreendedores. Para as equipas que se formarem segue-se um “campo de treino” em Alvaiázere, no distrito de Leiria, entre 10 e 11 de dezembro, constituído por dois dias intensivos de aconselhamento e formação.

Depois, até meados de janeiro, as equipas serão acompanhadas e apoiadas na construção de 35 projetos de investimento, dos quais serão selecionados um grupo de finalistas. Os vencedores serão apurados em Coruche, a 7 de fevereiro, na Grande Final.

Segundo o TP, Portalegre, Alvaiázere e Coruche integram as principais etapas do programa Green Up por serem municípios com estratégias exemplares de promoção de produtos endógenos. “O Museu das Tapeçarias de Portalegre, o Festival Gastronómico do Chícharo, em Alvaiázere, ou o Observatório do Sobreiro e da Cortiça, em Coruche, são exemplos de qualificação e sustentabilidade da oferta turística”, realça o comunicado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Turismo vai ensinar operadores a beneficiarem do aumento da procura no interior

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião