Quem tem a melhor oferta de luz, gás ou dual? Veja aqui

  • ECO
  • 26 Outubro 2020

As tarifas de energia variam consoante a dimensão da família e o tipo de oferta, mas em quase todos os fornecedores há ofertas mais baratas do que o mercado regulado.

Há cada vez mais operadores no mercado de energia, seja com ofertas de luz, gás ou de ambas. Qual a mais barata? Nem sempre é fácil identificar as opções mais em conta, mas a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) dá uma ajuda, revelando quais as ofertas mais atrativas no final do terceiro trimestre deste ano. São ofertas que permitem poupar centenas de euros.

Muon, GoldEnergy e Endesa. Estas são as três operadoras que oferecem “pacotes” mais baratos do que o mercado regulado, mostra o Boletim de Ofertas Comerciais de Eletricidade e Gás Natural da ERSE.

A Muon é mesmo a operadora que apresenta a fatura da luz mais em conta para todos os tipos de agregados familiares considerados pela ERSE, permitindo poupanças avultadas face à tarifa regulada. No caso do gás, é a Endesa que brilha.

A poupança anual da oferta mais competitiva face ao mercado regulado pode chegar aos 287 euros no caso de uma família numerosa que contrate apenas eletricidade da Muon. Para a mesma família que contrate uma oferta dual (eletricidade e gás natural), a poupança pode chegar aos 272 euros ao ano, no caso da GoldEnergy.

Para um casal sem filhos

Para um casal sem filhos que contrate um tarifário de eletricidade no mercado regulado, a fatura mensal será de 37,35 euros. Mas há 11 operadoras que oferecem opções mais baratas no mercado liberalizado. A alternativa mais em conta é oferecida pela Muon: 32,79 euros mensais, o equivalente a um desconto de 12% e a uma poupança mensal de 4,6 euros face à tarifa regulada.

A opção da Muon é uma oferta padrão, ou seja, sem qualquer tipo de restrição. Entre as ofertas condicionadas (com certas condições contratuais), é a GoldEnergy que fica mais em conta com uma fatura mensal de 32,91 euros por mês. Esta alternativa, ainda assim mais onerosa que a da Muon, permite também uma poupança de cerca de 12% face ao mercado regulado.

Se a tarifa contratada for de apenas gás natural, o mercado regulado prevê uma fatura mensal de 12,09 euros. Mas há cinco opções mais baratas. A Endesa tem a alternativa mais económica: 8,99 euros, o equivalente a um desconto de 26% e uma poupança mensal de 3,1 euros face ao mercado regulado. A opção mais cara é da Audax: 20,44 euros por mês.

Para o mesmo casal sem filhos que pretenda contratar eletricidade e gás natural na mesma fatura (dual), a tarifa do mercado regulado representa uma fatura mensal de 49,44 euros. Contudo, há quatro comercializadores com preços mais competitivos. A opção mais em conta é da Endesa: 42,35 euros por mês, permitindo uma poupança de 14% face ao mercado regulado. A Rolear, por sua vez, tem a tarifa mais cara: 54,34 euros por mês.

Para um casal com dois filhos

No caso de um casal com dois filhos que contrate um tarifário com apenas eletricidade no mercado regulado, a fatura mensal será de 90,79 euros. Mas há 11 operadoras que oferecem opções mais baratas. A alternativa mais em conta é oferecida novamente pela Muon: 78,53 euros mensais, o equivalente a um desconto de 14% e a uma poupança mensal de 12,3 euros face à tarifa regulada.

Também aqui a opção da Muon é uma oferta padrão. Se analisarmos apenas as ofertas condicionadas, é a GoldEnergy que fica mais em conta com uma fatura mensal de 78,87 euros por mês. Esta alternativa permite também uma poupança de 13% face ao mercado regulado.

Se a tarifa contratada for de apenas gás natural, o mercado regulado prevê uma fatura mensal de 23,08 euros. Mas há cinco opções mais baratas. A Endesa tem a alternativa mais económica: 19,33 euros, o equivalente a um desconto de 16% e uma poupança mensal de 3,8 euros face ao mercado regulado. A opção mais cara é novamente da Audax: 33,65 euros por mês.

Para o mesmo casal com dois filhos que pretenda contratar eletricidade e gás natural na mesma fatura (dual), a tarifa do mercado regulado representa uma fatura mensal de 113,87 euros. Contudo, há quatro comercializadores com preços mais competitivos. A opção mais em conta é da GoldEnergy: 100,97 euros por mês, permitindo uma poupança de 11% face ao mercado regulado. A Rolear tem novamente a tarifa mais cara: 120,67 euros por mês.

Para um casal com quatro filhos

No caso de um casal com quatro filhos que contrate um tarifário com apenas eletricidade no mercado regulado, a fatura mensal será de 191,56 euros. Mas há 11 operadoras que oferecem opções mais baratas. A alternativa mais em conta é oferecida novamente pela Muon: 167,65 euros mensais, o equivalente a um desconto de 12% e a uma poupança mensal de 23,9 euros face à tarifa regulada.

Também aqui a opção da Muon é uma oferta padrão. Se analisarmos apenas as ofertas condicionadas, é a GoldEnergy que fica mais em conta com uma fatura mensal de 167,95 euros por mês. Esta alternativa permite também uma poupança de 12% face ao mercado regulado.

Se a tarifa contratada for de apenas gás natural, o mercado regulado prevê uma fatura mensal de 45,22 euros. E aqui há apenas uma opção mais barata: a da Endesa, por 43,32 euros por mês, o equivalente a um desconto de 4% e uma poupança mensal de 1,9 euros face ao mercado regulado. A opção mais cara é da Audax: 58,73 euros por mês.

Para o mesmo casal com quatro filhos que pretenda contratar eletricidade e gás natural na mesma fatura (dual), a tarifa do mercado regulado representa uma fatura mensal de 236,78 euros. Contudo, há quatro comercializadores com preços mais competitivos. A opção mais em conta é da GoldEnergy: 214,10 euros por mês, permitindo uma poupança de 10% face ao mercado regulado. A Rolear tem novamente a tarifa mais cara: 248,58 euros por mês.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quem tem a melhor oferta de luz, gás ou dual? Veja aqui

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião