Portugal é segundo país da UE onde as casas têm menos luz natural

  • ECO
  • 31 Outubro 2020

No ano passado, 4,9% das pessoas na União Europeia (UE) sinalizou não ter luz natural suficiente dentro de casa, o que significa que o ambiente é tão escuro que é visto como problema.

A falta de luz natural nas habitações é um problema que poderá ter implicações de saúde, além do consumo energético das famílias. Dados publicados este sábado pelo Eurostat indicam que Portugal é o segundo país da Europa onde as pessoas têm maior perceção de escuridão dentro de casa.

Em 2019, 4,9% das pessoas na União Europeia (UE) sinalizou não ter luz natural suficiente dentro de casa, o que significa que o ambiente é tão escuro que é visto como problema pelo agregado familiar, segundo explica o relatório do Eurostat.

O país onde mais existe este problema é Malta, onde uma em cada dez pessoas considera que está demasiado escuro em casa. Segue-se Portugal (com 8,2%), a Hungria (8%) e a Letónia (7,9%). Por outro lado, a percentagem mais baixa é registada na Eslováquia (2,8%), República Chega (2,9%), Itália (3,2%), Chipre (3,2%) e Países Baixos (3,3%).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal é segundo país da UE onde as casas têm menos luz natural

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião