Mapfre quebra 11% no volume de prémios em Espanha e Portugal até setembro

  • ECO Seguros
  • 2 Novembro 2020

Mesmo crescendo nos EUA, México e Brasil, o negócio global consolidado pelo grupo Mapfre caiu 11,9% até setembro, devido à crise Covid19. Em Portugal, o volume de prémios superou 100 milhões de euros.

O grupo espanhol que opera em seguros e resseguros, além de outras atividades, apurou lucro líquido de 450,4 milhões de euros no final dos primeiros nove meses do ano, menos 2,7% face ao resultado alcançado em igual período de 2019. O negócio segurador, pilar da Mapfre, gerou resultado 7,5% superior ao de um ano antes, com Espanha a confirmar-se como a principal fonte dos resultados (328 milhões), enquanto os EUA, México e Brasil, cresceram 50%, 31% e 15%, respetivamente, realça o grupo presidido por António Huertas.

A receita total consolidada pela Mapfre SA superou 19 mil milhões de euros, recuando 11,9% face a igual período de 2019, sendo que 15,55 mil milhões correspondem à soma de prémios de seguro, resseguro, riscos globais e assistência que, em conjunto, decresceram os mesmos -11,9%, a refletirem a crise económica global decorrente da pandemia da Covid-19, revela a companhia em comunicado.

Na atividade seguradora, o montante de prémios (emitidos e aceites) distribuiu-se em 12,44 mil milhões pelo ramo não Vida (-8,3%) e 3,11 mil milhões pelo ramo Vida (-23,8% comparando com a cifra de um ano antes). De janeiro e setembro, o negócio segurador nas três principais geografias (Ibéria, América Latina e Internacional) contabilizou 12 747 milhões de euros de prémios de seguro, um volume 14,7% inferior ao de um ano antes, mas o resultado aumentou mais de 7%, até aos 609,9 milhões de euros, apresentando rácio combinado de 93%.

Espanha continua maior fonte de lucro. Portugal com 102 milhões de euros em prémios

Enquanto Espanha gerou 5 211 milhões de euros em receitas de prémios até setembro (-11% do que no período comparável de 2019), os prémios da região ibérica (Espanha e Portugal) somaram perto de 5 313 milhões, recuando os mesmos 11,3% em variação homóloga. Descontando a receita atribuída a Espanha, a operação em Portugal terá gerado cerca de 102 milhões de euros em volume de prémios, perto de 2% do total ibérico.

De acordo com o comunicado da companhia, a região ibérica contabilizou um resultado de 334 milhões de euros, em decréscimo de 4% face aos primeiros nove meses de 2019. Mantendo-se como a unidade regional que mais contribui para o resultado consolidado do grupo Mapfre, a área geográfica que engloba a operação em Portugal fechou o período reportado com rácio combinado de 92,5%.

Detalhando ainda a evolução da atividade em Espanha, a companhia refere que o negócio não Vida cresceu 1%, para 4019 milhões de euros, beneficiando dos segmentos saúde, comunidades autónomas, habitação e empresas, enquanto o negócio da Mapfre Vida contabilizou 1204 milhões de euros em prémios, em quebra de 36% e a refletir sobretudo o segmento Vida-Poupança.

Efeitos da crise Covid-19; rácios; resseguro e dividendos

No comunicado, a seguradora de origem mutualista, a Mutua Agrícola de los Proprietarios de Fincas Rústicas de España, (Mapfre) refere os efeitos da crise gerada pela pandemia nas variáveis da atividade são diversos e complexos, resumindo-os em decréscimo nos volumes de negócio, contração da atividade económica, depreciação cambial e ausência de incentivos para produtos Vida-poupança.

Por outro lado, a crise permitiu melhorar margem no ramo Vida, com o decréscimo na sinistralidade automóvel a compensar o acréscimo de sinistralidade originados pela pandemia noutros ramos. Ainda, ao nível dos gastos, as poupanças em custos operacionais e adiamento de programas de transformação ajudam a compensar custos diretos com a Covid-19. Por fim, a pandemia causou redução de receita financeira de investimento, tanto em ativos de renda fixa como em renda variável.

Globalmente, o rácio combinado do grupo melhorou em 1,1 pontos percentuais, situando-se em 95,2% no final de setembro. A sinistralidade, sobretudo no seguro auto, caiu em países como Espanha, EUA e Turquia, embora registando aumento em outros ramos, como morte e multirrisco empresarial (Espanha).

O negócio de resseguro da Mapfre RE contabilizou 3 209 milhões de euros em prémios até setembro, em quebra de 3% e com resultado negativo de 26 milhões de euros, devido a maior frequência de sinistros catastróficos, como covid-19 e os sismos de Porto Rico.

Por fim, de acordo com o comunicado, a Mapfre SA apresenta rácio de Solvência II nos 184% (a junho). A companhia pagará um dividendo de 5 cêntimos por ação, em numerário, o que supõe distribuir este ano um total de 416 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mapfre quebra 11% no volume de prémios em Espanha e Portugal até setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião