Grupo português investe 100 milhões em mega empreendimento em Gaia. Vai empregar 500 trabalhadores

  • Lusa
  • 3 Novembro 2020

O grupo Fortera vai investir 100 milhões de euros na construção de um mega projeto, que terá um hotel, um centro de congressos, escritórios, apartamentos e uma superfície comercial.

O Grupo Fortera anunciou esta terça-feira que vai investir 100 milhões de euros na construção de um empreendimento em Gaia, que inclui hotel, centro de congresso e apartamentos desenhados por Souto Moura e que empregará 500 trabalhadores.

“Vamos iniciar a obra em 2021 e concluí-la em dois a três anos”, anunciou Elad Dror, CEO do Grupo Fortera, em comunicado. De acordo com o grupo português, vão ser criados 500 novos postos de trabalho no empreendimento “Skyline”, em Vila Nova de Gaia, cujo investimento global ascende a 100 milhões de euros.

O arquiteto Souto Moura, vencedor do prémio Pritzker em 2011, foi contratado para desenhar um hotel de 160 quartos, um centro de congressos e 100 apartamentos, tudo parte integrante do empreendimento localizado na Rua General Torres.

“O projeto é totalmente distinto na região e até no país e conseguir a assinatura de Souto Moura para esta obra é algo que nos deixa extraordinariamente empolgados por ser um nobel, um ícone da arquitetura, que vai acrescentar um enorme valor patrimonial ao projeto e à região“, afirma o CEO do grupo.

O projeto consiste num ecossistema de comércio, serviços, residencial e lazer, estando dividido em cinco áreas distintas: um hotel de 20 andares com 160 quartos, um centro de congressos para eventos e exposições com capacidade para 2.000 pessoas, uma praça e superfícies comerciais, 16.000 metros quadrados de escritórios e 10.000 metros quadrados de área residencial.

O Grupo Fortera Properties foi fundado em 2015 e é uma empresa de direito português, que atua no ramo imobiliário de luxo, tendo a sua atividade iniciado no Norte, com o Porto — particularmente as zonas da Boavista, Santo Ildefonso, Nevogilde, Campanhã — e Espinho a serem os concelhos onde “incidem por enquanto os principais investimentos”.

As suas grandes áreas de atuação centram-se na aquisição de imóveis para construção de raiz ou reabilitação de espaços para fins hoteleiros ou residencial. Atualmente, o grupo tem já vários projetos concluídos e comercializados, sendo que será em 2019 que a grande maioria dos projetos residenciais e os primeiros dois grandes investimentos hoteleiros estarão concluídos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grupo português investe 100 milhões em mega empreendimento em Gaia. Vai empregar 500 trabalhadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião