Lucro da Ramada Investimentos cai 24% até setembro

  • Lusa
  • 19 Novembro 2020

A Ramada Investimentos e Indústria registou perto de 4,4 milhões de euros de lucro de janeiro a setembro, menos 24% do que em igual período de 2019.

A Ramada Investimentos e Indústria registou perto de 4,4 milhões de euros de lucro de janeiro a setembro, menos 24% do que em igual período de 2019, informou a empresa numa nota enviada à CMVM.

“Nos primeiros nove meses de 2020, o resultado líquido consolidado atingiu 4.353 milhares de euros, apresentando um decréscimo de 24% face ao resultado líquido do período homólogo do ano anterior”, lê-se no comunicado remetido ao mercado.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) da empresa atingiu, no período em causa, 8,3 milhões de euros, uma descida de 27,5% em comparação com os primeiros nove meses do ano anterior. Por sua vez, as receitas totais do grupo situaram-se em 74,8 milhões de euros, recuando 14% face ao valor apurado no período homólogo.

Já os custos totais foram negativos em cerca de 66,5 milhões de euros, o que se traduz num retrocesso de 11,9% em comparação com o mesmo período de 2019.

De janeiro a setembro, os investimentos realizados pelo grupo ascenderam a “aproximadamente 823 milhares de euros”.

Em 30 de setembro, a dívida da Ramada rondava os 15 milhões de euros, valor que compara com os 31 milhões de euros apurados no final de dezembro de 2019.

Pandemia não travou plano de investimento

Perante a Covid-19, o grupo procedeu à revisão e avaliação dos investimentos planeados para 2020 decidindo reagendar para o segundo semestre os investimentos produtivos, que estavam previstos para os seis meses anteriores.

“À data, é expectativa do Grupo Ramada cumprir com o investimento inicialmente estipulado para o ano de 2020, até final do exercício”, notou.

A empresa que opera no setor dos aços, maquinação e fabricação de estruturas para moldes, trefilaria, imobiliário e gestão de investimentos financeiros, manteve ainda uma reserva de liquidez com os seus bancos de relacionamento para assegurar os seus compromissos sem ter que se “refinanciar em condições desfavoráveis”.

No final de setembro, o montante de empréstimos consolidados com vencimento nos 12 meses seguintes situou-se em, aproximadamente, 19 milhões de euros.

Na mesma data, o grupo apresentava linhas de crédito disponíveis de cerca de 40 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucro da Ramada Investimentos cai 24% até setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião