National Geographic elege Porto como melhor destino de história e cultura

A cidade do Porto conquistou o primeiro lugar do ranking “Best of the World 2021" na categoria de “História e Cultura".

World of Wine - WOW

A cidade do Porto voltou a ganhar mais um prémio, ao conquistar o primeiro lugar no ranking “Best of the World 2021” da National Geographic UK, na categoria de “História e Cultura”.

O Porto está associado a uma experiência rica em história e cultura, impulsionada por uma aposta das companhias áreas low cost. “A introdução de voos de baixo custo levou o Porto a subir nos rankings de city break nos últimos anos”, considera a National Geographic.

Para além do acentuado declive do centro histórico, que leva ao encontro de “miradouros escondidos entre ruas íngremes e estreitas”, a ribeira do Porto, o edifício da Câmara de Comércio, o Palácio da Bolsa, a Casa do Infante, os azulejos da Capela das Almas foram alguns dos locais mencionados pela publicação. Do outro lado da margem do Rio Douro, as Caves de Vinho do Porto, assim como o World of Wine, que integra seis museus, também são citados no artigo.

Neste ranking dos oito melhores sítios a visitar com História e Cultura, a cidade de Conventry, no Reino Unido surge na segunda posição, seguido de Guam, nos EUA. Nesta lista da National Geographic UK, fazem ainda parte as cidades de Vitoria-Gasteiz, em Espanha (4.º), Tulsa, Oklahoma, EUA (5.º), Tonglu, China (6.º), Pueblo Nations, México (7.º) e Gyeongju, Coreia do Sul (8.º).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

National Geographic elege Porto como melhor destino de história e cultura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião