Hoje nas notícias: Função Pública, TdC e pescas

  • ECO
  • 2 Dezembro 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

A subida dos salários do Estado é, esta quarta-feira, um dos principais destaques nos jornais nacionais. Estão ainda em foco o uso de inteligência artificial pelo Tribunal de Contas, a reestruturação do setor das pescas e o saldo natural negativo em Portugal. Nas notícias sobre a pandemia, os infetados com Covid-19 têm de pagar adiamento de exames de condução.

Aumentos no Estado vão chegar a salários de 693 euros

Os aumentos salariais na Função Pública vão chegar aos salários até 693,13 euros brutos. O Governo vai assim mais longe do que inicialmente previsto, abrangendo mais do que apenas os trabalhadores que estão na base remuneratória (645,07 euros) que já seria impulsionada pelo salário mínimo nacional. No total, são cerca de 150 mil pessoas, num universo de 700 mil trabalhadores do Estado, que serão beneficiados por esta decisão. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso condicionado).

Inteligência artificial controla despesas públicas

O Tribunal de Contas (TdC) começou a usar inteligência artificial para controlar as contas de entidades públicas que estão sob a sua alçada. O sistema, que permite controlar melhor e mais depressa os fluxos financeiros bem como atuar de imediato em caso de irregularidades graves, abarca cerca de 6.500 entidades. “É um salto qualitativo muito grande na informação”, diz o presidente do TdC, José Tavares. Leia a notícia completa no Correio da Manhã (acesso pago).

Infetados com Covid-19 têm de pagar adiamento de exames de condução

Os alunos de determinada escola de condução que acusem positivo à Covid-19, a menos de cinco dias dos exames de código ou de condução, não podem adiar a prova e são obrigadas a pagar 104 euros para remarcar o exame. A atual legislação não prevê qualquer justificação para a ausência aos exames, mesmo que seja por doença súbita ou por acidente grave, mas existem centros de exames a abdicar dessa taxa. Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (acesso pago).

“As pescas são um setor que precisa de ser reestruturado”

O ministro do Mar Ricardo Serrão Santos considera que o setor das pescas precisa de ser reestruturado, nomeadamente através da renovação das embarcações, que são atualmente envelhecidas, com muito baixa tonelagem e pouco rentáveis. “Por isso é que existem salários bastante baixos no âmbito da economia do mar”, diz o governante, apontando a necessidade de diálogo entre os players do setor. Leia a entrevista completa no Jornal de Negócios (acesso condicionado).

Portugal com maior saldo natural negativo deste século

Há 12 anos que Portugal regista mais mortes que nascimentos e este ano pode bater o recorde de saldo natural negativo. Caso a tendência se mantenha até dezembro, este será o ano com o maior saldo natural (nados-vivos versus óbitos) negativo de que há memória em Portugal, à exceção de 1918, quando a gripe pneumónica matou milhares de pessoas. O motivo do aumento da taxa de mortalidade deve-se à Covid-19 e às restrições aos cuidados de saúde. Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Função Pública, TdC e pescas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião