Recrutar talento internacional pode tornar-se regra, diz CEO da Globalization Partners

No pós-Covid, apenas 30% do espaço de escritório será ocupado. Nicole Sahin, CEO da Globalization Partners, esteve no Web Summit e explicou como a sua empresa ajuda a recrutar talento em todo o mundo.

“Apesar das alterações económicas mais recentes, ou em função delas, há oportunidades sem precedentes para as organizações que querem tirar vantagem de equipas de trabalho remotas“, começou por destacar Nicole Sahin, fundadora e CEO da Globalization Partners, durante a intervenção na Web Summit, que arrancou online esta quarta-feira.

O teletrabalho vai permitir recrutar a partir de qualquer parte do mundo, gerir equipas remotamente e utilizar cada vez menos os espaços de trabalho. É a olhar para o futuro que a plataforma digital Globalization Partner apoia empresas em 187 países a recrutar talento de qualquer parte do mundo, assegurando a gestão de todo o processo desde o recrutamento até ao onboarding.

Num processo totalmente remoto, a Globalization Partners, com a ajuda de especialistas em recursos humanos em cada país, garante a resolução de todos os assuntos de compliance, tais como impostos, gestão de benefícios e salários e garante o onboarding dos candidatos em apenas alguns dias.

Nicole Sahin acredita que a pandemia trouxe novas oportunidades e, além do teletrabalho, a possibilidade de recrutar talento de topo independentemente da sua localização geográfica pode tornar-se na norma para a maioria das organizações.

Recrutar talento remotamente, sem a necessidade de instalar um escritório físico ou uma empresa subsidiária, abre caminho para a internacionalização das empresas. E pode permitir escalar as operações, o talento e aumentar em cerca de 70% os lucros e produtividade, referiu a responsável. “Identificamos o talento e providenciamos um contrato de trabalho alinhado com o país em que está a recrutar, adaptado à oferta e explicamos os benefícios de trabalho e as leis laborais, a si e ao seu candidato“, explicou a responsável.

Escritórios serão (cada vez) menos importantes

No pós-Covid, os executivos esperam ter 89% das equipas a trabalhar remotamente, pelo menos um dia por semana, revela um estudo recente da PwC, realizado já depois da pandemia Covid-19.

No futuro, os trabalhadores só vão usufruir de cerca de 34% do espaço de escritório que antes utilizavam, revela um estudo da Hubble, plataforma que faz pesquisa sobre locais de trabalho, aos trabalhadores no Reino Unido.

 

Mais de metade dos trabalhadores do Reino Unido refere que a produtividade aumentou em teletrabalho e as maiores vantagens são a redução das deslocações, a possibilidade de poupar dinheiro e passar mais tempo em família.

Nicole Sahin ressalvou que a Globalization Partners ajuda a minimizar potenciais riscos imprevisíveis durante o recrutamento e o onboarding. Depois do recrutamento, os empregadores podem consultar todos os dados sobre o colaborador na plataforma oficial.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Recrutar talento internacional pode tornar-se regra, diz CEO da Globalization Partners

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião