TAP tem 83 milhões de euros para pagar saída de trabalhadores em 2021

  • ECO
  • 15 Dezembro 2020

A estratégia do Governo passa por, numa fase inicial, avançar com um quadro de rescisões amigáveis e, numa segunda fase, por um despedimento coletivo.

A TAP tem 83 milhões de euros em carteira para pagar as saídas de trabalhadores previstas no plano de restruturação já em 2021, avança o Público (acesso pago). Estas saídas serão feitas através de rescisões amigáveis e despedimentos programados para o próximo ano.

A estratégia do Governo passa, numa fase inicial, por um quadro de adesões voluntárias, como rescisões amigáveis (que darão direito a subsídio de desemprego), trabalho parcial (pensado em termos de sazonalidade) e licenças sem vencimento. O ministro Pedro Nuno Santos chegou a falar em reformas antecipadas, mas o Público diz que isso ainda não é certo de acontecer.

Depois, está previsto um despedimento coletivo, tendo sido já identificados 2.000 trabalhadores, um número que ainda poderá sofrer alterações, dependendo de como correr a primeira fase. Além disso, haverá um corte transversal progressivo de 25% a partir do montante de 900 euros aos que fiquem.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

TAP tem 83 milhões de euros para pagar saída de trabalhadores em 2021

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião