BRANDS' ADVOCATUS Proteja os dados dos seus clientes e a sua reputação

  • BRANDS' ADVOCATUS
  • 17 Dezembro 2020

Como proteger, depois de úteis, os documentos e a informação confidencial que os seus clientes lhe confiam? Como aumentar a sua proteção, e a dos seus clientes, perante uma potencial fuga de dados?

Os escritórios de advogados, solicitadores e agentes de execução são tradicionalmente locais de armazenamento de informação confidencial e privada. É algo que está associado às exigências da atividade. No entanto, resultado de várias violações nos últimos anos, a forma como as empresas recolhem, preservam e destroem essa informação está sobre escrutínio crescente, especialmente depois da entrada em vigor do RGPD.

Proteger a sua atividade significa mais do que apenas proteger os documentos dos seus clientes. Se guarda relatórios financeiros, formulários de recursos humanos, recibos de vencimento, contratos, entre outros, o seu escritório pode correr o risco de multas, perda de negócio e risco reputacional, caso essa informação confidencial caia nas mãos erradas.

Nos locais de trabalho de advogados, solicitadores e agentes de execução encontramos inúmeros registos com informação pessoal – sejam dados confidenciais de clientes, de funcionários ou partes envolvidas em processos e ações. A sua reputação dependente da forma como esta informação é recolhida, armazenada e destruída. Num setor que depende da privacidade e da confidencialidade, a realidade é que muitas das violações ocorrem devido a erro, negligência ou ações pouco refletidas por parte de colaboradores. Na verdade, em 2019 o Ponemon Institute, no seu relatório “Cost of a Data Breach” referia que 24% das fugas de dados são causadas por erro dos funcionários. É possível que, como entidade empregadora, possa estar a fazer tudo o que pode, mas basta um funcionário colocar acidentalmente um documento confidencial na reciclagem para deitar tudo por terra. Portanto, com quase um quarto do risco com origem no seu escritório, é necessário garantir que os seus sócios, funcionários e estagiários saibam como identificar, tratar e encaminhar para destruição segura todos os suportes com informação confidencial.

Se contacta ou alguém do seu escritório contactar com estes tipos de documentos, o seu escritório pode correr risco de fuga, perda ou violação de dados: depoimentos, documentos financeiros e relatórios de crédito de clientes, cartas de procuração, autenticação e certificação de documentos, contratos, notificações, relatórios policiais, documentos bancários, relatórios financeiros do seu escritório e documentos de Recursos Humanos. Caso contacte com estes documentos, em suporte físico ou em discos rígidos, não arrisque.

 

Contrate um fornecedor certificado que lhe permite destruir, em segurança, desde pequenas quantidades a grandes armazéns cheios de documentação, à sua frente ou à frente do seu cliente.

Os serviços da Shred-it, líder mundial na destruição segura de informação confidencial, são a resposta para quem quer garantir a segurança das informações confidenciais e a proteção de dados pessoais. Com emissão de certificado de destruição e com 100% do papel destruído enviado para reciclagem.

Proteja os seus clientes. Proteja a sua atividade. Para saber mais sobre como proteger os seus documentos confidenciais, arquivos e discos rígidos, contacte a Shred-it.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Proteja os dados dos seus clientes e a sua reputação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião