Iniciativa Liberal quer divulgação de estudo da Mckinsey que suportou apoio à TAP

  • ECO
  • 22 Dezembro 2020

O deputado João Cotrim Figueiredo pede ao ministro Siza Vieira a divulgação pública do estudo da Mckinsey que justificou apoio à TAP para comparar com outro estudo do Governo que sugere o contrário.

A Iniciativa Liberal exige que o ministro Siza Vieira divulgue um estudo da McKinsey, contendo a avaliação dos “setores críticos para o crescimento da economia portuguesa em função do impacto que a pandemia está a ter” e respetivas conclusões. O objetivo dos liberais é avaliar as conclusões da Mckinsey que ajudaram a suportar os apoios públicos à TAP e compará-las com o outro estudo, do próprio Governo, que não definia os transportes como um setor prioritário a apoiar pelo Estado.

Num requerimento parlamentar apresentado pelo deputado único, João Cotrim Figueiredo, a Iniciativa Liberal considera que existe uma contradição entre um estudo conhecido, o do Gabinete de Estudos do Ministério da Economia, e outro que não é público, o da consultora internacional. “No passado dia 11 de dezembro de 2020, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, declarou em intervenção na Assembleia da República, que o Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia, conjuntamente com a consultora McKinsey, fez “uma avaliação de quais os setores críticos para o crescimento da economia portuguesa em função do impacto que a pandemia está a ter, quais os setores e empresas em que devemos concentrar a nossa atenção porque, a desaparecerem, o prejuízo para a economia portuguesa seria muito elevado“. Esta avaliação, que não é pública, terá concluído que “o setor do transporte aéreo é dos mais críticos para o futuro da economia portuguesa”, com isto pretendendo justificar a inevitabilidade dos vultuosos apoios financeiros concedidos e a conceder à TAP”.

Por outro lado, uma análise do Gabinete de Estudos do próprio Ministério da Economia sugere outras conclusões: “Este estudo apresenta, nas suas conclusões, uma análise relativa aos setores aos quais devem ser dirigidas as políticas públicas, onde o setor dos transportes aéreos surge nas últimas posições. Significa isto que existe um estudo efetuado e publicado pelo Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia que não só não apoia as conclusões da análise que o ministro afirmou ter sido feita pelo Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia, conjuntamente com a McKinsey, como efetivamente as contraria no que diz respeito à razoabilidade da injeção de dinheiro dos contribuintes na TAP”, escrevem os liberais neste requerimento.

Assim, Cotrim Figueiredo considera que há uma contradição que só pode ser analisada se o Governo divulgar o estudo da McKinsey, que continua em segredo. Esta “avaliação de quais os setores críticos para o crescimento da economia portuguesa” referida pelo Ministro é fundamental para a compreensão do foco dos auxílios estatais à economia portuguesa, e para a fiscalização política destes mesmos auxílios, pelo que o documento conjunto com a McKinsey deve ser tornado público e enviado à Assembleia da República logo que possível”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Iniciativa Liberal quer divulgação de estudo da Mckinsey que suportou apoio à TAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião