Costa contra vacinação de líderes em primeiro lugar. O que se está a fazer lá fora?

Do primeiro-ministro da Grécia ou da República Checa, passando pelo ministro da Saúde da Bulgária e até ao vice-presidente dos EUA, há já 10 líderes mundiais que receberam a vacina contra a Covid-19.

Há pouco mais de uma semana arrancou a campanha de vacinação contra a Covid-19 em simultâneo na Europa, depois de a Agência Europeia do Medicamento ter dado “luz verde” à vacina desenvolvida pela Pfizer em conjunto com a BioNTech. Antes disso, muito se falou dos grupos prioritários que iriam dar início àquele que é um dos grandes desafios à escala mundial. E se em Portugal a task force optou por começar a vacinar os profissionais de saúde e profissionais e residentes em lares, noutros países estes grupos divergem. Há quem ponha os políticos no grupo da frente.

Em entrevista à Lusa, António Costa diz que foi a “opção correta” não começar a vacinação pelos primeiros-ministros ou presidentes, defendendo igualmente os critérios estabelecidos pela task force, que definem os momentos da vacinação de cada um, por razões de doença, idade, ou funções exercidas, tendo também em conta as quantidades que vão sendo disponibilizadas.

Ao contrário do que acontece em Portugal, noutros países europeus, bem como fora do Velho Continente foram vários os líderes políticos que quiserem dar um sinal de “confiança” aos seus cidadãos.

No Reino Unido, o primeiro-ministro, Boris Johnson, admitiu receber a vacina em direto, por forma a demonstrar que é “segura”, ao passo que na Índia o Governo assegurou que o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, seria o primeiro a tomar a injeção quando esta estiver disponível do país, revela o Hindustan Times (acesso livre, conteúdo em inglês). Contudo, há já 10 líderes mundiais que cumpriram a “promessa”. Do primeiro-ministro da Grécia ou da República Checa, passando pelo ministro da Saúde da Bulgária e até ao vice-presidente dos Estados Unidos, conheça as altas figuras que já receberam a vacina contra a Covid-19.

Grécia

Na Grécia, os profissionais de saúde e os residentes em lares foram os primeiros a serem vacinados. Ainda assim, a altas figuras do Estado quiseram transmitir confiança, pelo que também no dia 27 de dezembro — dia em que arrancou a vacinação em toda a União Europeia –, o primeiro-ministro grego foi dos primeiros a ser vacinado. “Não doeu nada”, assegurou, Kyriakos Mitsotakis. Ao Chefe de Governo juntou-se também a Presidente grega Aikaterini Katerina Sakellaropoulou, que garantiu que o melhor presente de Natal de 2020 tinha sido oferecido pela ciência. “Neste Natal, a ciência deu-nos o melhor presente“, disse.

Chipre

No Chipre, os idosos foram os primeiros a “aparecerem” na fotografia a serem vacinados. Um dia depois de o país dar o “tiro” de partida da campanha de vacinação, também o presidente cipriota, Nicos Anastasiades, recebeu a injeção da Pfizer/BioNTech, numa tentativa de diminuir os receios da população em relação à segurança deste medicamento. A primeira toma foi transmitida em direto nas televisões, tendo o Chefe de Governo descrito o momento como “um presente da vida” e assegurando que este é mais um passo para que haja esperança para o fim da pandemia, segundo a Euronews (acesso livre, conteúdo em inglês).

Bulgária

Tal como em Portugal, na Bulgária os profissionais de saúde que estão na linha da frente de combate à pandemia fazem parte do grupo prioritário. Ainda assim, o ministro da Saúde búlgaro quis dar o exemplo. De máscara na cara e com a manga esquerda da camisola arregaçada, Kostadin Angelov tornou-se no primeiro vacinado do país, sob forte aparato da comunicação social. “Mal posso esperar para ver meu pai de 70 anos sem preocupações”, disse o ministro, após ter recebido a injeção no no hospital de St Anna, em Sófia.

República Checa

Lado a lado com a veterana da II Guerra Mundial, Emilie Repikova, o primeiro-ministro checo recebeu a injeção contra a Covid-19, tornando-se na primeira pessoa do país a recebê-la. O momento aconteceu no hospital militar de Praga e, tal como sucedeu no Chipre, foi transmitido em direto pelas televisões, revela a Euronews (acesso livre, conteúdo em inglês). “Ontem vi uma senhora dizer na televisão que não ia ser vacinada enquanto o primeiro-ministro não fosse”, justificou Andrej Babis.

Israel

Fora no bloco comunitário, também o primeiro-ministro israelita quis dar o exemplo, tornando-se no primeiro cidadão do país a receber a vacina. Benjamin Netanyahu foi vacinado a 18 de dezembro, sendo que um dia depois de o país do Médio Oriente ter arrancado com o plano de vacinação, que começou pelos profissionais de saúde e residentes em lares, revela a Associated Press (acesso livre, conteúdo em inglês). “Eu acredito nesta vacina”, disse o Chefe de Governo antes de receber a injeção da Pfizer/BioNTech no Sheba Medical Center, perto de Tel Aviv. Horas depois, também o ministro da Saúde israelita, Yuli Edelstein, foi vacinado.

Estados Unidos da América

Os Estados Unidos estão a viver uma situação verdadeiramente dramática, com os casos de infeção por Covid-19 a dispararem de dia para dia e os hospitais perto do colapso, dada a enchente de pacientes nos últimos dias. Com mais de 20 milhões de infetados e mais de 353 mil óbitos registados pela doença, os líderes políticos quiseram aumentar a confiança pública na segurança das vacinas, que foi prejudicada por seu rápido desenvolvimento e aprovação. O vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, foi o primeiro a dar o “mote”, tendo sido vacinado a 18 de dezembro, — isto é, quatro dias depois da campanha de vacinação ter arrancado no país –, durante um evento na Casa Branca, transmitido em direto pela televisão. Pence disse estar “feliz por ter recebido uma vacina segura e eficaz”.

Quatro dias depois, a 22 de dezembro, foi a vez de Joe Biden ser vacinado contra o novo coronavírus, em Delaware, também em direto para as televisões. No final da vacinação, o democrata e futuro presidente dos EUA afirmou que a administração de Donald Trump merece “algum reconhecimento por ter posto isto em andamento”. Além disso, também Kamala Harris, futura vice-presidente norte-americana, já tomou a injeção da Moderna, num hospital de Washington D.C e transmitido em direto para o Youtube. “Quero encorajar a todos a tomar a vacina. É relativamente indolor, rápido e seguro”, apontou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Costa contra vacinação de líderes em primeiro lugar. O que se está a fazer lá fora?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião