Rui Moreira sugere fundo soberano para travar falências de empresas por causa do novo confinamento

Presidente da Câmara do Porto mostra-se preocupado com o novo confinamento. Alerta que medida "vai levar à inglória de imensas empresas" e sugere ao Governo a criação de um “fundo soberano”.

Com o país prestes a entrar em lockdown, o presidente da Câmara do Porto admite “estar extremamente preocupado com o que vai acontecer” e alerta que “um novo confinamento vai levar à inglória de imensas empresas”. Para minimizar os efeitos provocados por este novo confinamento, Rui Moreira sugere a criação de um “fundo soberano” onde o “Estado participaria apenas o tempo suficiente para estimular o emprego e valorizar a indústria”.

Embora Portugal já tenha administrado 70 mil doses da vacina contra a Covid-19, o autarca evidencia que falta “um plano de vacinação” e que é necessário o Governo “mobilizar todos os recursos disponíveis para vacinar a população” no menor curto espaço de tempo, seguindo um modelo semelhante ao de Israel, explica a Câmara do Porto através do portal de notícias da autarquia.

“Quanto mais rápido decorrer a vacinação, insistiu, mais rápido se relança a economia e o turismo, “porque as pessoas vão querer desesperadamente voltar a viajar”, esclarece o autarca.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Rui Moreira sugere fundo soberano para travar falências de empresas por causa do novo confinamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião