Nas notícias lá fora: Reino Unido, IAG e Vivendi

  • ECO
  • 25 Janeiro 2021

O grupo IAG encontra-se em negociações avançadas para criar um terminal de cargas no aeroporto de Barajas. Já o grupo Vivendi anunciou ter aumentado a sua participação na Prisa.

Numa altura em que o Reino Unido tem sido sujeito a inúmeros desafios, nomeadamente o Brexit e a crise pandémica, o antigo primeiro-ministro britânico referiu que o país se encontra em vias de ser um “Estado falhado”, caso não se sujeite a certas reformas. Esta segunda-feira fica ainda marcada pela notícia relativa à infeção por Covid-19 do Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador. Na tecnologia, destaca-se o caso da startup de condução autónoma Uisee, que atraiu a atenção de investidores estatais chineses. Conheça estas e outras notícias que marcam a atualidade internacional.

Cinco Días

IAG em negociações para criar centro de cargas em Barajas

O grupo IAG, liderado por Luis Gallego, está em negociações avançadas com a Aena, entidade que gere o Aeroporto Adolfo Suarez Madrid-Barajas, para criar nesse local um terminal de cargas, intitulado IAG Cargo. No entanto, as dúvidas prendem-se com o financiamento necessário para colocar o projeto em andamento, com as fontes consultadas pelo Cinco Días a indicarem que o grupo IAG já apresentou, ao Ministério da Indústria, um plano que tem em vista a obtenção de fundos europeus para financiar o mesmo.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol).

Expansión

Vivendi aumenta participação na Prisa

O grupo francês Vivendi anunciou esta segunda-feira ter aumentado a sua participação no conglomerado mediático espanhol Prisa. Três dias depois de ter assumido uma participação de 7,6% na empresa, este valor cresceu agora para os 9,9%. A Vivendi destacou que este seu investimento na Prisa visa “reforçar a sua posição como grupo global de conteúdos, meios de comunicação e comunicações”, ao mesmo tempo que expande “o seu acesso aos mercados de língua espanhola na Europa, América Latina e Estados Unidos”. Adiante-se ainda que o preço pago pela empresa francesa a propósito desta operação não foi avançado por nenhuma das partes.

Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol).

Reuters

Sem reformas, Reino Unido corre o risco de ser um “Estado falhado”

A população do Reino Unido perdeu a fé na forma como o país tem sido governado. A crença é de Gordon Brown, antigo primeiro-ministro britânico, que defendeu que o país necessita ser alvo de reformas, de forma a evitar que se torne num “Estado falhado”. Em particular, é na Escócia onde essa mesma insatisfação atinge o seu expoente máximo, depois de cinco anos marcados pela crise do Brexit e, mais recentemente, pela crise pandémica que tem assolado os territórios do Reino Unido.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

AP

Presidente do México está infetado com Covid-19

O Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, de 67 anos, anunciou que está infetado com Covid-19 e que está a fazer “tratamento médico”. “Lamento informá-los que estou contagiado com Covid-19. Os sintomas são leves, mas estou a fazer tratamento médico. Como sempre, estou otimista. Vamos todos seguir em frente”, informou o Chefe de Estado na conta oficial da rede social Facebook.

López Obrador explicou que, durante os próximos dias, a secretária de Governação, Olga Sánchez Cordero, vai substituí-lo nas conferências de imprensa matutinas diárias. No fim de semana, López Obrador participou em cerimónias públicas junto de vários membros do Governo e nunca usou máscara, uma vez que se nega a usá-la desde o início da pandemia. O México conta com um total de 1,7 milhões de infetados e 150 mil mortos.

Leia a notícia completa na AP (acesso livre, conteúdo em espanhol)

TechCrunch

Estado chinês investe em startup de condução autónoma

Numa altura em que a China não esconde o seu objetivo de se tornar, no espaço de uma década, no país líder no que toca à inteligência artificial a nível mundial, a startup chinesa Uisee, dedicada à condução autónoma, foi a mais recente a ser alvo de financiamento por parte do Estado chinês. A empresa avançou, esta segunda-feira, ter fechado uma ronda de financiamento na ordem dos 150 milhões de dólares, onde contou com a participação, entre outros, do Fundo Nacional de Transformação e Atualização da Indústria Transformadora, o qual é apoiado pelo Estado e que tem o Ministério das Finanças como seu principal acionista.

Leia a notícia completa no TechCrunch (acesso livre, conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Reino Unido, IAG e Vivendi

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião