Pandemia faz cair receitas dos grandes do futebol europeu. Benfica é o 23.º que mais fatura

Maiores clubes europeus perderam mais de mil milhões de euros em receitas na época transata devido ao impacto da pandemia. Benfica é o único emblema português no ranking dos que mais faturam.

Com receitas de 170,3 milhões de euros, o Benfica é o único clube português a surgir no ranking Money League, realizado pela Deloitte. Os encarnados surgem no 23.º lugar dos clubes que mais faturam, numa lista liderada pelo Barcelona. A auditora traçou um panorama devastador para o futebol europeu por causa da pandemia. As receitas dos maiores emblemas do Velho Continente recuaram mais de mil milhões de euros na época transata. E vão voltar a cair esta temporada por causa do vírus.

De acordo com a Deloitte, os 20 maiores clubes europeus geraram receitas de 8,2 mil milhões na temporada 2019-2020, uma queda de 12% face à época anterior (9,3 mil milhões).

A quebra na faturação deveu-se sobretudo à perda de 937 milhões de euros em receitas televisivas, o que acontece depois de a pandemia ter paralisado o calendário competitivo um pouco por todo o mundo entre março e maio. Por outro lado, com a ausência de adeptos nos estádios, os clubes perderam 257 milhões de euros em receitas matchday.

Os especialistas da Deloitte estimam a que presente temporada não venha a produzir melhores resultados. Em dois anos, os principais clubes deverão perder mais de dois mil milhões de euros em receitas quando a época 2020-2021 terminar.

Espanhóis lideram, Benfica é o único português

Barcelona e Real Madrid foram os clubes que mais riqueza geraram na temporada passada, com receitas de 715,1 milhões de euros e 714,9 milhões, respetivamente, de acordo com a Deloitte. Em terceiro lugar está o Bayern de Munique, com receitas de 634,1 milhões de euros. Os alemães ultrapassaram os ingleses do Manchester United, que tiveram uma faturação na ordem dos 580 milhões de euros.

O top-20 é dominado por clubes ingleses, espanhóis, alemães e italianos. Há ainda dois emblemas franceses e um russo que se intrometem entre os “tubarões” europeus, o PSG (540,6 milhões) e o Olympique Lyon (180,7 milhões) e o Zenit (236,5 milhões).

Quanto à representação portuguesa, a Deloitte situa o Benfica no lugar 23. Os encarnados tiveram receitas de 170,3 milhões de euros. Juntamente com o Zenit e o Ajax (155,5 milhões), o Benfica forma o grupo dos “outsiders” do ranking dos mais “ricos” que não jogam nos cinco principais campeonatos europeus.

Os lisboetas sobem uma posição face a 2018/19, mas nesse ano tinham registado receitas de 197,7 milhões de euros, perdendo cerca de 27 milhões em receitas.

De fora do top-30 está o FC Porto, que era 29.º em 2018/19, com uma receita calculada em 176,2 milhões, mas na 24.ª edição do relatório está ausente. O 30.º clube, o AC Milan, faturou 148,5 milhões, pelo que a quebra nas receitas fica patente.

(Notícia atualizada às 12h19)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pandemia faz cair receitas dos grandes do futebol europeu. Benfica é o 23.º que mais fatura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião