Novo terminal de contentores de Leixões custa 190 milhões e é lançado ainda em 2021

  • Lusa
  • 27 Janeiro 2021

A data do lançamento da obra é incerta devido a questões procedimentais internas, mas será ainda este ano, diz a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo.

A administração portuária de Leixões previu esta quarta-feira que o concurso para o novo terminal de contentores seja lançado ainda em 2021 e estimou um investimento na obra de cerca de 190 milhões de euros.

“A nossa estimativa orçamental para a construção do novo terminal, ou reconversão do multiúsos, entre construção civil e equipamentos, é de 190 milhões de euros. O valor inclui ainda a reconversão do porto de pesca. Quanto ao lançamento da obra, questões procedimentais interna impedem-nos, para já, de avançar uma data, mas será ainda este ano”, afirmou à agência Lusa o presidente da Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), Nuno Araújo.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) já divulgou um parecer positivo ao novo terminal, condicionado à mitigação de ruídos e dos impactos visuais negativos na zona balnear de Matosinhos, mas, conforme atenuam os autores do parecer, os impactes ambientais negativos esperados são, no geral, “pouco significativos” e mais detetáveis na fase de construção, contrapondo que a nova infraestrutura “será capaz de gerar impactes sociais e económicos positivos ou muito significativos na região”.

O novo terminal vai ficar na zona do atual terminal multiúsos, “sobrepondo-se parcialmente” ao porto de pesca, que terá de ser reformulado. O projeto aponta para um terminal com uma capacidade anual de movimentação no terrapleno de pelo menos 480 mil TEU e uma capacidade de movimentação anual no cais de pelo menos 435 mil TEU. Cada TEU (siga da expressão inglesa Twenty-foot Equivalent Unit) equivale à capacidade de carga de um contentor de 20 pés (6,096 metros) de comprimento.

O projeto prevê igualmente um terminal Ro-Ro (abreviatura da expressão inglesa “roll on-roll off”) para carga geral solta, como veículos.

Em estado mais adiantado está, entretanto, o projeto para prolongamento do quebra-mar do porto de Leixões. Nuno Araújo disse que já foi obtido o visto do Tribunal de Contas para esta obra e está a ser recolhida documentação que permita consignar os trabalhos, se possível, já em fevereiro. Trata-se de um investimento de 147 milhões de euros, com um prazo de execução de 30 meses, que compreende o prolongamento do quebra-mar em 300 metros e a dragagem da bacia de rotação.

“Quando tivermos o quebra-mar e quando construirmos o novo terminal de contentores, vamos poder receber também navios de maior dimensão. Navios que hoje escalam noutros portos, espanhóis ou não, poderão escalar em Leixões e isso vai beneficiar nomeadamente as empresas desta região, com ganhos na cadeia na logística”, afirmou o presidente da APDL.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Novo terminal de contentores de Leixões custa 190 milhões e é lançado ainda em 2021

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião