Milionário francês compra sede da Navigator em Lisboa. Paga 120 milhões por 17 imóveis no país

O milionário francês Pierre Castel aumenta o seu portefólio em Portugal, que conta, entre outros imóveis, com o Campus da Justiça, duas das Torres de Lisboa e uma das torres do Colombo.

O milionário francês Pierre Castel continua a investir no imobiliário português. Através de um fundo listado em Singapura — como tem sido habitual nas suas operações –, o investidor adquiriu recentemente 17 edifícios de escritórios no país por 120 milhões de euros, sabe o ECO. Pierre Castel estende, assim, a carteira de imóveis que detém em Portugal, onde se conta o Campus da Justiça, quatro das Torres de Lisboa e uma torre do Colombo.

A operação aconteceu através da compra da participação de 99,1% que o fundo britânico Rivercrown tinha no fundo português Maxirent, de acordo com a notícia que foi divulgada pela própria Rivercrown. Simplificando, esta participação inclui vários edifícios de escritórios, que acabaram vendidos ao Grupo Castel por 120 milhões de euros, apurou o ECO junto de fontes do mercado imobiliário.

Entre os imóveis mais importantes da carteira está a sede da Navigator, na Avenida Fontes Pereira de Melo, com 3.620 metros quadrados. De acordo com informação do fundo Maxirent, o imóvel vale cerca de 12 milhões de euros. Soma-se ainda um edifício mais abaixo, com 7.696 metros quadrados, a valer cerca de 26 milhões de euros, outro no Chiado, com 2.208 metros quadrados, avaliado em cerca de oito milhões de euros, e outro no Páteo das Damas, com 9.096 metros quadrados a valer cerca de oito milhões de euros.

No “pacote” incluem-se ainda outros três imóveis em Alfragide. O edifício Cidade de Córdova, com 11.242 metros quadrados, a valer cerca de 8,7 milhões de euros, o edifício Estrada de Alfragide, com 1.046 metros quadrados, avaliado em cerca de 1,6 milhões de euros e, por fim, o edifício Prime, com 7.975 metros quadrados, a valer cerca de 12 milhões de euros. A carteira inclui ainda outros imóveis espalhados pelo país, desde Setúbal, a Cascais e a Albufeira, totalizando, assim, os cerca de 120 milhões de euros.

Milionário francês Pierre Castel, fundador do Castel Group.Pinterest

A britânica Rivercrown adquiriu a participação que tinha (e que agora vendeu) na Maxirent em setembro de 2019, avança a imprensa internacional. Nessa altura, adquiriu também a sociedade gestora Refundos, na qual mantém a posição.

Pierre Castel, um dos homens mais ricos de França, continua, assim, a somar investimentos na capital. A primeira compra em Portugal foi em 2015, quando comprou a Torre Ocidente, do Colombo, por 70 milhões de euros. O edifício é composto por 14 pisos ocupados por várias empresas, entre as quais o banco francês BNP Paribas.

A segunda aquisição aconteceu em 2016, quando pagou cerca de 200 milhões de euros pelo Campus da Justiça, que contempla oito edifícios. A essa operação, ainda no mesmo ano, seguiu-se a compra da sede da Nos, no Campo Grande, por cerca de 50 milhões de euros. O último investimento de Pierre Castel em Portugal aconteceu em 2018, quando comprou duas das Torres de Lisboa por cerca de 100 milhões de euros.

Pierre Castel é dono do Castel Group, que foi fundado pelo próprio em 1949, em Bordeaux. Com cerca de 1.400 hectares de vinhas em França, o Grupo Castel é atualmente um dos maiores produtores de vinho do mundo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Milionário francês compra sede da Navigator em Lisboa. Paga 120 milhões por 17 imóveis no país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião