355 imóveis foram pagos com 27,3 milhões em dinheiro vivo

  • ECO
  • 8 Fevereiro 2021

Vendas de imóveis duplicou em tempos de pandemia e atingem 28,2 mil milhões de euros. Parte desse valor foi pago em dinheiro vivo.

Entre arrendamento e compra e venda de imóveis, as mais de 122 mil transações mediadas por imobiliárias atingiram no ano passado 28,2 mil milhões de euros, o dobro do comunicado em 2019. Parte das transações (355) foram pagas em dinheiro vivo, mais concretamente 27,3 milhões de euros em notas, avança o Correio da Manhã (acesso pago).

Na maioria dos casos, as notas foram usadas para comprar imóveis, e apenas uma pequena parte para pagar rendas, no total das transações comunicadas ao Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC) pelas imobiliárias, uma comunicação obrigatória que decorre da luta contra o branqueamento de capitais. Do valor pago em notas (27,3 milhões), apenas 1,5 milhões foi usado no pagamento de rendas. No total foram usados mais 13 milhões de euros em dinheiro vivo do que em 2019, mas num contexto de crescimento do mercado.

Mesmo em ano de pandemia, em 2020, o número de transações duplicou face ao ano anterior. O IMPIC recebeu informação sobre 122 791 contratos relativos à compra e venda de imóveis e rendas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

355 imóveis foram pagos com 27,3 milhões em dinheiro vivo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião