Mario Draghi aceitou convite para formar Governo em Itália

Mario Draghi aceitou formalmente o convite do Presidente de Itália para assumir o cargo de primeiro-ministro de Itália, depois de ter garantido o apoio de quase todos os partidos.

Mario Draghi aceitou formalmente o convite do Presidente de Itália, Sergio Mattarella, para formar um governo de emergência no país. O ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) já revelou os nomes de ministros que vão integrar o próximo executivo italiano, avança o La Reppublica (acesso livre, conteúdo em italiano).

O anúncio foi feito pelo próprio economista no final de um encontro com Mattarella, a quem garantiu ter recebido o apoio suficiente dos partidos para formar um novo Executivo. Além disso, Mario Draghi apresentou ainda a lista dos ministros que vão integrar o próximo executivo italiano, tendo esta sido aceite pelo Presidente.

De acordo com a Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês), o novo Governo vai ser composto por uma mistura de políticos e técnicos. Luigi Di Maio, líder do Movimento 5 Estrelas, vai manter-se como ministro das Negócios Estrangeiros, enquanto Giancarlo Giorgetti, uma figura importante do partido da Liga, será ministro da Indústria. Ao mesmo tempo, Andrea Orlando, do Partido Democrata de centro-esquerda, será ministra do Trabalho.

Não obstante, outros cargos de relevância vão ficar a cargo de técnicos. Daniele Franco, diretor-geral do Banco da Itália, foi nomeado ministro da Economia, enquanto Roberto Cingolani, físico e especialista em TI, vai tutelar a pasta da transição ecológica.

Para este Governo, o antigo presidente do BCE conta com o apoio de quase todos os partidos com assento parlamentar, entre os quais o Movimento 5 Estrelas (partido anti-sistema que detém a maioria parlamentar). Este apoio foi, por isso, determinante para colocar um ponto final ao impasse político em Itália.

A crise política no Executivo italiano começou a 26 de janeiro, na sequência do colapso da coligação liderada por Giuseppe Conte. O até então primeiro-ministro de Itália demitiu-se depois de o partido de Matteo Renzi, Italia Viva, ter abandonado o acordo de coligação que tinha com o Governo, juntamente com o Movimento 5 Estrelas.

Pouco depois de o antigo presidente do BCE ter aceitado o convite formalmente, Renzi felicitou o novo governo, através de uma mensagem deixada nas redes sociais. “Uma equipa de alto nível, com algumas entradas de extraordinário valor. Bom trabalho para o presidente Draghi e seus ministros. Viva Itália“, lê-se no tweet.

O novo Governo vai tomar posse este sábado, seguindo-se, depois, no início da próxima semana, as sessões de juramento e da prestação de votos de confiança nas duas câmaras do Parlamento – Câmara dos Deputados e Senado. Mario Draghi foi presidente do BCE, entre 2011 e 2019, tendo desempenhado um papel vital na defesa da Zona Euro durante a crise das dívidas soberanas que ameaçou seriamente o projeto da moeda única.

(Notícia atualizada às 19h55)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mario Draghi aceitou convite para formar Governo em Itália

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião