Draghi toma posse como primeiro-ministro de Itália

  • Lusa
  • 13 Fevereiro 2021

Draghi disse ter aceitado o convite do Presidente italiano, Sergio Mattarella, para assumir o cargo de primeiro-ministro de Itália, depois de ter garantido o apoio de quase todos os partidos.

Mario Draghi foi este sábado empossado como primeiro-ministro de Itália pelo chefe de Estado, Sergio Mattarella, que o encarregou de formar governo após a crise desencadeada no decurso da renúncia ao cargo de Giuseppe Conte em 26 de janeiro.

Juro ser fiel à República, cumprir com lealdade a Constituição e as leis e exercer minhas funções em prol do interesse exclusivo da nação”, declarou perante Sergio Mattarella no Palácio Romano Quirinale.

Depois de Draghi, ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), vinte e três ministros do seu governo começam a tomar posse, entre os quais reconhecidos técnicos que vão assumir pastas importantes como a Economia, Interior ou Transição Energética.

Draghi disse ter aceitado o convite do Presidente italiano, Sergio Mattarella, para assumir o cargo de primeiro-ministro de Itália, depois de ter garantido o apoio de quase todos os partidos representados no Parlamento.

O economista, de 73 anos, substitui Giuseppe Conte, que renunciou ao cargo depois de o partido Itália Viva, de Matteo Renzi, parceiro da coligação governamental, ter abandonado o Governo, deixando-o sem maioria no Parlamento.

Em 3 deste mês, Draghi aceitou, “embora com reservas”, a tarefa de formar um Governo, após a demissão de Conte, nove dias antes, prudência que justificou por pretender constatar, primeiro, que apoios poderia obter para governar.

Conselho Europeu e Comissão Europeia felicitam novo primeiro-ministro

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, felicitaram hoje o novo primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, que prestou juramento este sábado.

Parabéns e espero trabalhar com Mario Draghi novamente para a recuperação e o futuro da Europa“, escreveu Charles Michel no Twitter, após a cerimónia de tomada de posse do ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, com os seus 23 ministros, para acabar com a crise política gerada pela renúncia de Giuseppe Conte em 26 de janeiro.

Também na sua conta do Twitter, Von der Leyen disse: “A sua [de Draghi] experiência será de valor excepcional para a Itália e a Europa como um todo, especialmente nestes tempos difíceis. Estou ansiosa para trabalharmos para uma recuperação comum e para as nossas ambições”.

Mario Draghi estrea-se em 25 de fevereiro como primeiro-ministro perante os restantes chefes de Estado e de Governo, na cimeira virtual de dois dias convocada por Charles Michel para tratar da pandemia de covid-19 e questões relacionadas à política de defesa.

Mas esta não será a primeira vez que participa numa cimeira europeia, porque já o fez na sua gestão à frente do BCE, quando adquiriu a alcunha de “Super Mario” depois de poupar o euro com um programa de compra de dívidas.

O economista, de 73 anos, substitui Giuseppe Conte, que renunciou ao cargo depois de o partido Itália Viva, de Matteo Renzi, parceiro da coligação governamental, ter abandonado o Governo, deixando-o sem maioria no parlamento.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Draghi toma posse como primeiro-ministro de Itália

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião