Portugal sobe dois lugares para a 40.ª posição no índice de comércio eletrónico

  • Lusa
  • 17 Fevereiro 2021

Portugal está melhor do que em 2019, quando se encontrava no 42.º lugar. 75% dos portugueses usam a Internet, sendo que destes 51% fazem compras online.

Portugal subiu em 2020 dois lugares, para o 40.º lugar, no ranking de comércio eletrónico da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

Assim, o Índice de Comércio Eletrónico ‘Business to Consumer’ (B2C) [negócio para consumidor final] da organização mostra que Portugal está melhor do que em 2019, quando se encontrava no 42.º lugar, indicando que 75% dos portugueses usam a Internet, sendo que destes 51% fazem compras online. No que diz respeito a percentagens da população total, 38,3% dos portugueses recorrem ao comércio eletrónico, segundo a UNCTAD.

Segundo os dados divulgados pela organização, a Europa “continua a ser a região mais preparada para o e-commerce, sendo o ranking liderado, pela primeira vez, pela Suíça, seguida dos Países Baixos.

De acordo com a organização, os dois maiores mercados de e-commerce do mundo, a China e os EUA ocupam o 55.º e o 12.º lugares, respetivamente, sendo que, segundo a entidade, ainda que liderem em valores absolutos no setor, ficam para trás quando efetuadas comparações relativas.

Shamika N. Sirimanne, que lidera a divisão da UNCTAD responsável por este índice anual, citada num comunicado, diz que “a divisão no comércio eletrónico continua enorme”.

“Mesmo entre os países do G20, a percentagem de pessoas que compram online oscila entre os 3% na Índia e 87% no Reino Unido”, refere a mesma responsável.

“A pandemia de Covid-19 levou a que fosse mais urgente garantir que os países que estão mais atrasados sejam capazes de alcançar os outros e reforçar a sua agilidade nesta área”, disse a mesma responsável, acrescentando que os resultados do índice mostram que os governos devem fazer mais nesta área.

“Caso isso não aconteça, os negócios e as pessoas irão perder as oportunidades oferecidas pela economia digital e estarão menos preparados para lidar vários desafios”, avisa.

O índice classifica 152 nações quando à sua preparação para o comércio eletrónico, um setor avaliado em 4,4 triliões de dólares (3.600 biliões de euros) globalmente, um crescimento de 7% face a 2019.

A UNCTAD avalia os países no que diz respeito ao acesso a servidores de Internet seguros, a fiabilidade dos serviços postais e infraestrutura, bem como a percentagem de população que usa a Internet e tem uma conta numa instituição financeira ou fornecedor móvel que preste serviços financeiros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal sobe dois lugares para a 40.ª posição no índice de comércio eletrónico

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião