Mortalidade na Suécia subiu menos que na UE. Arquiteto da estratégia sueca critica confinamento

Dados preliminares do Eurostat mostram que, em 2020, a mortalidade excessiva provocada pelo novo coronavírus na Suécia foi de 7,7%. Em Espanha e na Bélgica, foi de 18,1% e de 16,2%, respetivamente.

A Suécia fica conhecida, a nível europeu, pela forma diferente como enfrentou a pandemia de Covod-19. Ao contrário do que aconteceu em muitos Estados, o país evitou confinamentos rigorosos da população. Ainda assim, a Suécia apresenta-se com um dos países da Europa que registaram menores aumentos na sua taxa de mortalidade em 2020, avança a Reuters.

Dados preliminares do Eurostat e que foram analisados pela agência noticiosa mostram que, no ano passado, o país nórdico registou um aumento nos óbitos globais na ordem dos 7,7%, comparando com a média dos quatro anos anteriores. Em países como Espanha e Bélgica, que optaram por restringir severamente as atividades de empresas e mobilidade dos cidadãos, a mortalidade excessiva provocada pelo novo coronavírus alcançou os 18,1% e os 16,2%, respetivamente.

Fazendo as contas, 21 dos 30 países englobados nesta análise acabaram mesmo por sofrer um aumento mais expressivo neste indicador do que a Suécia. Deste modo, Anders Tegnell, epidemiologista responsável pela estratégia de contenção da pandemia nesse Estado, acredita que estes dados são capazes de levantar algumas dúvidas acerca do recurso a confinamentos rigorosos para combater a pandemia.

“Penso que as pessoas irão provavelmente pensar com muito cuidado acerca destes confinamentos generalizados, sobre como eles eram realmente bons”, adianta à Reuters. Referindo que esta estratégia pode “ter tido um efeito a curto prazo”, sustenta que este se torna “mais duvidoso” quando analisando todo o período da pandemia.

Com população idêntica, a Suécia teve menos óbitos que Portugal por Covid-19, de acordo com os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS). Desde o início da pandemia, a Suécia registou, até ao dia 21 de março, um total de 13.262. Em Portugal, onde existiram já dois pesados confinamentos globais do país, as mortes totais identificadas eram, na mesma data, 16.762.

Porém, olhando para o caso dos vizinhos nórdicos, a situação identificada na Suécia é menos positiva. A Noruega não registou, no ano passado, qualquer aumento na sua taxa de mortalidade. Na Dinamarca e na Finlândia, o excesso de mortalidade foi, respetivamente, de 1,5% e 1,0% – bastante abaixo dos 7,7% na Suécia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mortalidade na Suécia subiu menos que na UE. Arquiteto da estratégia sueca critica confinamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião