Concessionária das 6 barragens transmontanas transfere sede para Miranda do Douro

  • Lusa
  • 31 Março 2021

Movhera transfere a sua sede do Porto para Miranda do Douro. Outras das medidas anunciadas foi a instalação da sede da Engie Hidroeléctricas do Douro também na mesma localização.

A Assembleia Geral da Movhera, a nova concessionária das seis barragens transmontanas instaladas na bacia hidrográfica do Douro, validou esta quarta-feira a transferência definitiva da sede da empresa do Porto para Miranda do Douro.

“Após um processo de registo iniciado em meados de março, a Assembleia Geral da Movhera validou localização definitiva da sua sede no município de Miranda do Douro, ficando assim mais próximo dos ativos da empresa localizados no Douro Internacional“, pode ler-se no sítio oficial da empresa.

Outras das medidas anunciadas foi a instalação da sede da Engie Hidroeléctricas do Douro também em Miranda do Douro, no distrito de Bragança, depois de, na segunda-feira, o Movimento Cultural Terra de Miranda (MCTM) defender que a sede social da empresa que comprou seis barragens por 2,2 mil milhões de euros na bacia hidrográfica do Douro deveria ficar no território.

“Com este passo, temos a satisfação de confirmar o nosso compromisso com o desenvolvimento económico da região que está na base da nossa atividade”, vinca agora a nota oficial da Movhera

O presidente da Câmara de Miranda do Douro, Artur Nunes, mostrou-se ” muito satisfeito” com esta tomada de decisão hoje anunciada de forma oficial. “Este é processo que vinha sendo contraído há algum tempo e a empresa [Movhera], veio agora esclarecer, em definitivo, que as suas boas intenções se transformaram em atos”, vincou o autarca transmontano.

Para o também presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes, esta poderá ser uma forma de o setor energético ser “um ponto forte” de investimentos desenvolvimento para o território. “Com a instalação desta em empresa [Engie Hidroelétricas do Douro] na região, há possibilidade de ficarem 60 trabalhadores e de se prever a contratação de mais 22, correspondentes a novos postos de trabalho”, indicou à Lusa o autarca transmontano.

O presidente da Câmara apontou ainda a oportunidade de negócios para os prestadores de serviços instalados nos concelhos onde se encontram estas seis barragens.

Para Artur Nunes, a instalação da sede da Engie Hidroelétricas do Douro, em Miranda do Douro, e a consequente criação e manutenção de postos de trabalho é uma alavanca para a economia deste território de baixa densidade populacional.

Na segunda-feira, o MCTM instou o Governo a obrigar a Movhera a cumprir a condição da qual o próprio Governo fez depender a sua autorização de venda das barragens, que é a instalação da sua sede na Terra de Miranda.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Concessionária das 6 barragens transmontanas transfere sede para Miranda do Douro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião