China e Rússia acusadas de praticarem ciberespionagem a Portugal

  • ECO
  • 6 Abril 2021

O Relatório Anual de Segurança Interna fazia referência a ciberespionagem a Portugal de "origem estatal". Segundo o Público, ataques informáticos ao país terão tido origem na China e Rússia.

A China e a Rússia são suspeitas de praticarem ciberespionagem a Portugal, avança o Público (acesso condicionado). O Relatório Anual de Segurança Interna referente a 2020 reconhece o crescimento desta prática no ano da pandemia, mas omitia a origem dos mesmos.

O jornal cita quatro fontes anónimas para referir que, na parte em que o relatório menciona “ameaças persistentes, tecnologicamente avançadas, de origem estatal”, as autoridades portuguesas referem-se àqueles dois países. Contactados pelo Público, o gabinete do primeiro-ministro e o Centro Nacional de Cibersegurança não confirmaram a informação, mas também não a desmentiram.

China e Rússia são dois países com conhecidas capacidades cibernéticas, estando a China alegadamente mais associada a ciberataques contra instituições de saúde, enquanto a Rússia privilegia entidades ligadas ao Estado. Alguns dos ataques estarão a ser investigados pela Polícia Judiciária, mas não se sabe que medidas foram tomadas por parte de Portugal, nomeadamente no plano diplomático.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

China e Rússia acusadas de praticarem ciberespionagem a Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião