Apritel afirma que Portugal está “na liderança da descida de preços nos pacotes” de comunicações

  • Lusa
  • 21 Abril 2021

A associação dos operadores Apritel adiantou em comunicado que, "em média, este índice dos preços reduziu-se 1,2%, enquanto na UE27 apenas desceu 0,3%".

A associação dos operadores Apritel afirmou esta quarta-feira que Portugal está “na liderança da descida de preços nos pacotes” de comunicações eletrónicas, apontado que os dados do Eurostat de março “demonstram mais uma vez a forte dinâmica competitiva”.

Em comunicado, a associação dos operadores de comunicações eletrónicas salienta que, “nos últimos 12 meses, a competitividade do setor nacional sai reforçada: em média este índice dos preços reduziu-se 1,2%, enquanto na UE27 apenas desceu 0,3%”.

Os preços das telecomunicações praticados em Portugal é um assunto que tem sido alvo de discórdia entre os operadores de telecomunicações e a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

“Nos serviços em pacote, aqueles que, de acordo com dados da Anacom, as famílias portuguesas cada vez mais preferem, e que no final de 2020 já eram subscritos por 88 em cada 100 famílias, Portugal é o segundo país onde os preços mais baixaram nos últimos 12 meses: -2,6%”, salienta a Apritel.

A associação aponta que “mais uma vez o preço das comunicações desce mais em Portugal do que na Europa” e que o país está “na liderança da descida de preços nos pacotes de comunicações”, subscritos por 88% das famílias portuguesas.

A Apritel sublinha que, como “tem vindo a alertar, os comparativos de evolução de preços suportados no IHCP do Eurostat não podem ser utilizados para comparar níveis de preços entre países, apenas a evolução dos mesmos, e com as devidas precauções”.

Refere também que “os enviesamentos da análise são tanto maiores quanto maior for a série temporal, na medida em que o IHCP altera os pesos de cada componente, de ano para ano, o que impõe limitações às conclusões que podem ser retiradas de séries históricas longas do mesmo índice” e “esse tipo de análise apenas releva para avaliações macroeconómicas, como as da inflação, para as quais o IHCP foi criado”.

No final de fevereiro, o regulador Anacom tinha divulgado que o aumento dos preços de comunicações em Portugal “supera em 16 pontos percentuais a redução observada na União Europeia” entre final de 2009 e janeiro deste ano.

Segundo a Anacom, entre final de 2009 e janeiro de 2021, “os preços das telecomunicações em Portugal aumentaram 6,4%, enquanto na União Europeia diminuíram 9,9%”.

A diferença, “que é de 16,3 pontos percentuais, estreitou-se com a entrada em vigor no dia 15 de maio de 2019 das novas regras europeias que regulam os preços das comunicações intra-UE“, referiu na altura o regulador.

No final de fevereiro, a Anacom apontou que, nos últimos 12 meses, “a taxa de variação média dos preços das telecomunicações em Portugal foi de -1,9%”, ou seja, “1,8 pontos percentuais abaixo da registada pelo IPC (-0,1%), ocupando Portugal, segundo o Eurostat, o 21.º lugar no ‘ranking’ das variações mais elevadas, ou o 7.º das variações mais baixas”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apritel afirma que Portugal está “na liderança da descida de preços nos pacotes” de comunicações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião