João Cravinho acusa Governo de Sócrates de travar o combate à corrupção

  • ECO
  • 27 Abril 2021

Em entrevista ao Polígrafo SIC, João Cravinho, ex-ministro das Obras Públicas, lembrou que Plano Anticorrupção que apresentou há 15 anos “foi liminarmente recusado pelo PS”.

João Cravinho, antigo ministro das Obras Públicas e autor de um Plano Anticorrupção, em 2006, garante este não avançou, porque José Sócrates, então primeiro-ministro, não quis. Em entrevista ao Polígrafo SIC, o ex-dirigente do PS defende que o partido tem a obrigação de assumir a luta contra o enriquecimento ilícito.

“O PS não pode fingir que não houve um período em que o partido com maioria absoluta, [que], com todos os meios, foi um partido combatente, empenhou toda a sua capacidade política, legitimada pelo seu secretário-geral, que também era primeiro-ministro, contra a ideia de se combater sistemicamente a fundo a corrupção. Isso é que faz parte da história do PS”, argumentou.

Apesar de considerar que a proposta para combater o enriquecimento injustificado não é nova, defende que “é boa” e por isso só vê motivos para que avance. “A minha ideia é que o próximo congresso do Partido Socialista, que é dentro de poucos meses, tem necessariamente de tomar posição sobre o assunto. E deve fazê-lo exatamente como o Presidente da República diz: sem contemplação e sem flagelação.”

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

João Cravinho acusa Governo de Sócrates de travar o combate à corrupção

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião