Preços dos combustíveis agravam há sete meses. Em março gasolina subiu 4,3% e diesel 3,3%

A componente que mais pesa no preço pago pelos consumidores corresponde a impostos, que representou em março cerca de 60,5% do total da fatura de gasolina e 54,9% no diesel.

O preço médio de venda ao público da gasolina simples 95 aumentou 4,3% em março, face ao mês anterior, de acordo com os dados mais recentes da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). Passou de 1,532 euros por litro em fevereiro para quase 1,6 euros por litro no espaço de um mês, o que representou o sétimo aumento mensal seguido. Entre janeiro e fevereiro o salto tinha sido já também de 3,4%.

Por seu lado, o preço médio do gasóleo também está a aumentar consecutivamente desde agosto de 2020 e agora em março deu um salto de 3,3% face a fevereiro: de 1,372 euros por litro para 1,417 euros por litro, de acordo com o boletim da ERSE.

A componente que mais pesa no preço que os consumidores pagam pela gasolina “corresponde a impostos, que representou em março aproximadamente 60,5% do total da fatura”, revela o regulador. No gasóleo, os impostos pesam ligeiramente menos, mas ainda assim dizem respeito a 54,9% da fatura, seguida do valor da cotação internacional e frete, sendo que esta aumentou face ao mês anterior, acompanhando o comportamento verificado desde janeiro.

Quanto aos diferentes locais de abastecimento, Bragança, Beja, Lisboa, Portalegre e Faro são os distritos com os combustíveis mais caros. No extremo oposto, Braga, Aveiro, Viseu e Santarém sãos distritos com os combustíveis rodoviários (gasolina e gasóleo) mais baratos, em Portugal Continental.

Na gasolina, “os hipermercados continuam a apresentar as ofertas mais competitivas: 3,2% abaixo dos operadores do segmento low cost e 8,3% inferiores aos dos postos de abastecimento que operam sob a insígnia de uma companhia petrolífera, representando uma poupança de 14 cent/litro”, refere a ERSE na sua análise.

Também no diesel os hipermercados continuam a ser os operadores com preços mais competitivos, apresentando preços médios de cerca de 11 cêntimos por litro abaixo do preço médio nacional. Os operadores com ofertas low cost disponibilizaram gasóleo simples a um preço médio de 1,356 euros por litro, o que representa um adicional de 3,4% face ao preço dos hipermercados. As companhias petrolíferas de bandeira reportaram preços médios de 1,443 euros por litro, cerca de 2,6 cêntimos por litro acima do preço médio nacional, analisa a ERSE.

No mês passado a gasolina 95 aditivada custou em média aos consumidores mais 2,4% do que gasolina simples 95. O acréscimo devido à aditivação foi mais pronunciado na gasolina 98 (cerca de 5,7%), como tem sido habitual no mercado nacional. Por outro lado, diz o regulador, adquirir gasóleo aditivado representou um acréscimo de 5,8 cêntimos por litro face ao gasóleo simples.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preços dos combustíveis agravam há sete meses. Em março gasolina subiu 4,3% e diesel 3,3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião