Taxa de inflação homóloga sobe para 0,6% em abril

  • Lusa
  • 12 Maio 2021

Dados do INE mostram que o indicador de inflação subjacente registou uma variação homóloga de 0,1%, taxa idêntica à registada em março.

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi de 0,6% em abril, taxa superior em 0,1 pontos percentuais à do mês anterior e à estimativa rápida anteriormente avançada, anunciou esta quarta-feira o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,1%, taxa idêntica à registada em março.

O agregado relativo aos produtos energéticos registou uma variação homóloga de 8,1% em abril (2,4% no mês precedente), enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados apresentou uma taxa de variação de -1,1% (1,3% no mês anterior).

“Esta redução reflete essencialmente um efeito de base associado ao forte aumento dos preços dos produtos alimentares não transformados verificado em abril de 2020”, explica o INE.

Por classes de despesa e face ao mês precedente, o instituto destaca o aumento das taxas de variação homóloga das classes do ‘vestuário e calçado’, da ‘habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis’ e das ‘bebidas alcoólicas e tabaco’, com variações de 2,9%, 1,3% e 1,3%, respetivamente (-3,3%, -0,1% e 0,1% no mês anterior).

Em sentido oposto, assinala a diminuição das taxas de variação homóloga das classes dos ‘restaurantes e hotéis’, dos ‘bens alimentares e bebidas não alcoólicas’ e do ‘lazer, recreação e cultura’, com variações de -3,2%, -0,8% e -0,3%, respetivamente (-0,6%, 0,8% e 0,9% no mês anterior).

Nas classes com contribuições positivas para a variação homóloga do IPC destacam-se os ‘transportes’, os ‘bens e serviços diversos’, a ‘saúde’, o ‘vestuário e calçado’ e a ‘habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis’, enquanto nas classes com contribuições negativas sobressaem as dos ‘restaurantes e hotéis’ e dos ‘bens alimentares e bebidas não alcoólicas’.

Comparando com o mês precedente, em abril são de salientar os aumentos das contribuições para a variação homóloga do IPC das classes do ‘vestuário e calçado, dos ‘transportes’ e da ‘habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis’.

Em sentido contrário, o INE sublinha a redução da contribuição das classes dos ‘bens alimentares e bebidas não alcoólicas’ e dos ‘restaurantes e hotéis’.

Em termos mensais, o IPC apresentou uma variação de 0,4% em abril (1,4% no mês anterior e 0,3% em abril de 2020). Excluindo os produtos alimentares não transformados e energéticos, a variação do IPC foi 0,4% (1,5% no mês anterior e 0,4% em abril de 2020).

Já a variação média dos últimos 12 meses foi de 0,1% (nula no mês anterior).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou variação homóloga de -0,1%, taxa inferior em 0,2 pontos percentuais à do mês anterior e inferior em 1,7 pontos percentuais ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em março de 2021, esta diferença foi de 1,2 pontos percentuais).

A variação mensal do IHPC foi de 0,5% (1,5% no mês anterior e 0,8% em abril de 2020) e a variação média dos últimos 12 meses foi de -0,2% (valor idêntico ao do mês precedente).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Taxa de inflação homóloga sobe para 0,6% em abril

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião