É “demasiado cedo” para um novo plano de recuperação

  • Lusa
  • 17 Maio 2021

Margrethe Vestager não vê necessidade de um novo plano. Lembra que o atual só pode ser implementado depois de todos os 27 países o validarem, o que ainda não aconteceu.

É “demasiado cedo” para considerar uma extensão ao plano de recuperação europeu decidido em julho de 2020, quando ainda não foi gasto “um único euro”, disse a comissária Europeia da Concorrência, Margrethe Vestager.

“É demasiado cedo para o considerar. Acho um pouco estranho falar de um novo plano de que não temos a certeza de precisar, quando já temos tanto para fazer”, referiu a comissária, numa entrevista ao Les Echos.

Vestager sublinhou ainda não ter sido gasto “um único euro dos 750 mil milhões de euros do primeiro plano”.

A União Europeia acordou em julho de 2020 a criação de um fundo de recuperação de 750 mil milhões de euros (5,6% do PIB europeu) financiado por uma emissão conjunta de dívida.

O plano só pode ser implementado depois de todos os 27 países o validarem, mas nesta fase apenas 19 parlamentos nacionais ratificaram o acordo.

A França e a Alemanha apelaram no final de abril para que o plano de recuperação fosse posto em prática “o mais rapidamente possível”, para que a União Europeia não se deixe ultrapassar pela China e pelos Estados Unidos no processo de recuperação global.

Perante a decisão dos Estados Unidos de injetarem 1,9 biliões de dólares (1.56 biliões de euros) na economia americana, o presidente francês, Emmanuel Macron tinha referido no final de uma cimeira europeia, em 25 de março, que a Europa deveria “melhorar” e “completar” a sua resposta económica e orçamental à crise provocada pela Covid-19, com vista a uma recuperação “mais vigorosa”.

“Podemos preocupar-nos em ter fome dentro de uma semana, mas o essencial é comer hoje. O objetivo não é gastar tanto dinheiro quanto possível, mas sim obter os melhores resultados possíveis”, frisou Margrethe Vestager.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

É “demasiado cedo” para um novo plano de recuperação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião