Generali sobe resultado trimestral 11% para 1,6 mil milhões

  • ECO Seguros
  • 18 Maio 2021

A instituição italiana que controla a Tranquilidade destaca reequilíbrio na carteira do negócio Vida. Globalmente, o volume de prémios cresceu 4,2%, com melhoria da rentabilidade no trimestre.

A Generali SpA, grupo que detém a Tranquilidade, encerrou o primeiro trimestre de 2021 (1ºT21) com resultado operacional de 1 608 milhões de euros, em crescimento de 11% face ao trimestre comparável do ano anterior, enquanto o lucro líquido ascendeu a 802 milhões de euros, a refletir o desempenho operacional, mas sem indicação de variação homóloga devido aos efeitos de imparidades em desinvestimentos e contribuição extra para Fundo Internacional para a Covid-19, explica a instituição italiana.

De acordo com os números da Assicurazioni Generali, aprovados em reunião do board (conselho de administração) presidido por Gabriele Galateri de Genola, o grupo aumentou o volume bruto de prémios em 4,2% para 19,71 mil milhões de euros, suportado pela evolução no segmento Vida e também pela recuperação no negócio P&C (não Vida).

Num comunicado, a entidade salienta desenvolvimentos positivos na área de gestão de ativos e, que continuou a crescer, resiliência no negócio Vida e contribuição significativa de Banca Generali. Neste contexto, o rácio combinado (indicador de eficiência e rentabilidade) melhorou 1,8 pontos percentuais, para 88,0%, enquanto a margem de novos negócios progrediu 0,4 pp, para 4,44%.

Detalhando informação sobre os segmentos de atividade, o resultado operacional distribui-se por 690 milhões de euros em P&C (+10% face ao 1ºT20) e 785 milhões no ramo Vida (-1,8% em comparação com um ano antes). O resultado na atividade de gestão de ativos cresceu 46%, para 136 milhões.

O negócio Vida cresceu 1% em coleta, para 3 000 milhões de euros, “totalmente concentrado em linhas de proteção e produtos unit-linked” e a refletir a estratégia de reequilíbrio da respetiva carteira. O volume bruto de prémios expandiu 5,5% no trimestre, para 12,83 mil milhões de euros, com a carteira unit-linked (seguros Vida ligados a fundos de investimento) a avolumar 21%.

No seguro de património e danos (P&C) os prémios cresceram 1,9%, até cerca de 6,9 mil milhões de euros, impulsionados pelo ramo automóvel, enquanto a área de gestão de ativos progrediu 21% em receita, para 235 milhões, e em 47,3% no resultado líquido trimestral, o qual totalizou 93 milhões de euros, puxado pelo desempenho no resultado operacional.

A Generali encerrou o trimestre com 562 mil milhões de euros de ativos sob gestão, estabilizado face ao inventariado em 3 de março de 2020. A posição de capital do grupo foi calculada em 234%, “extremamente sólida” e a comparar com 224% do rácio de solvência no final de dezembro de 2020.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Generali sobe resultado trimestral 11% para 1,6 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião