Leão admite que crescimento do PIB pode chegar aos 5% este ano

  • Lusa
  • 21 Maio 2021

"O primeiro trimestre foi muito intenso" de uma forma negativa", mas o ministro das Finanças diz que a "mudança está a ser muito rápida". Crescimento pode ser "bastante superior ao previsto".

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, admitiu à Lusa que o Produto Interno Bruto (PIB) português poderá crescer até 1 ponto percentual acima dos 4% esperados, devido a uma mudança “muito rápida” das condições económicas.

“É um crescimento relativamente superior, pode ir até quase um ponto acima do que temos previsto, mas ainda é um bocado cedo”, disse João Leão numa entrevista à Lusa realizada conjuntamente com o presidente do Eurogrupo, o irlandês Paschal Donohoe, no âmbito da presidência portuguesa da União Europeia.

O ministro das Finanças lembrou que “Portugal teve um inverno muito duro” e que “o primeiro trimestre foi muito intenso” de uma forma negativa, o que levou o Governo a rever em baixa as suas previsões para o crescimento da economia para 4% aquando da divulgação do Programa de Estabilidade, em abril, quando anteriormente previa 5,4%.

Porém, “a mudança está a ser muito rápida“, salientou o ministro, justificando o maior otimismo com o facto de que, com a reabertura da economia nacional, “o número de casos mantém-se muito baixo” e o plano de vacinação contra a Covid-19 “está a ajudar”.

“Com os indicadores que temos quer do mercado de trabalho, quer do consumo, quer das exportações, que estão a ser muito mais positivos do que esperávamos, temos a expectativa, se a pandemia continuar controlada e evoluir de forma positiva com a campanha de vacinação, que o crescimento possa ser bastante superior ao que tínhamos previsto”, disse em entrevista à Lusa.

Como exemplo da recuperação, João Leão referiu que “os pagamentos do multibanco nas últimas três semanas estão bastante superiores ao que eram antes da pandemia, em 2019“, mostrando “que o consumo está a recuperar de forma muito rápida”.

No entanto, o governante ressalvou que a previsão oficial do Governo “mantém-se nos 4%”, sendo apenas revista quando for apresentada a proposta de Orçamento do Estado para 2022, em outubro.

O otimismo do ministro contrasta com as previsões económicas de primavera da Comissão Europeia que, na semana passada, reviu em baixa o crescimento económico esperado para Portugal, apontando para 3,9% quando em fevereiro esperava 4,1%.

Em termos trimestrais, Bruxelas aponta para uma recuperação do PIB português do segundo ao quarto trimestre, quer em cadeia (3,2%, 3,9%, e 1,0% respetivamente), quer face aos mesmos trimestres do ano passado (13,5%, 4,0% e 4,9%, respetivamente).

Em termos anuais, as previsões da Comissão Europeia estão exatamente alinhadas com as do Banco de Portugal (BdP) e as do Fundo Monetário Internacional (FMI), estando uma décima abaixo dos 4,0% esperados pelo Governo e acima dos 3,3% do Conselho das Finanças Públicas (CFP) e dos 1,7% da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Leão admite que crescimento do PIB pode chegar aos 5% este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião