Lisboa e mais três concelhos não avançam para a nova fase de desconfinamento

O desconfinamento em Portugal continental continua a ser feito a diferentes "velocidades". Há 4 concelhos que não vão avançar para a próxima fase, que arranca na próxima segunda-feira, dia 14.

Portugal tem avançado no desconfinamento, mas a várias velocidades. Semana após semana, há concelhos que ficam retidos ou recuam no plano, devido ao aumento de número de casos de Covid-19. Nesse sentido, há quatro concelhos que não vão avançar para a próxima fase, que arranca na próxima segunda-feira e prevê um alívio de medidas, anunciou Mariana Vieira da Silva, após o Conselho de Ministros.

Há “quatro concelhos num nível que não lhes permite prosseguir no desconfinamento”, revelou a ministra da Presidência. São eles “Braga, Lisboa, Odemira e Vale de Cambra”, que vão permanecer nas regras de 1 de maio, sinalizou.

A atualização dos municípios é feita semanalmente e depende do nível de incidência da Covid-19 em cada concelho. Isto é, os locais que se encontram na zona laranja da chamada matriz de risco, por terem mais de 120 casos por 100 mil habitantes em duas avaliações consecutivas no caso dos concelhos de alta densidade ou terem mais de 240 casos por 100 mil habitantes no caso dos concelhos de baixa densidade.

Na semana passada, o primeiro-ministro já tinha avisado cinco concelhos que poderiam recuar ou estagnar no desconfinamento. Destes, três (Braga, Lisboa e Vale de Cambra) ficam agora estagnados na fase em que estavam, sendo que Odemira avança ligeiramente no desconfinamento (dado que ainda estava de 19 de abril), mas a ligeira melhoria da situação epidemiológica não lhe permite dar um passo “mais à frente” e acompanhar a generalidade do país.

Nesse contexto, estes concelhos mantêm as medidas atualmente em vigor, com o teletrabalho a continuar a ser obrigatório desde que as funções o permitam, os restaurantes a encerrarem às 22h30 (ou 19h00 nos fins de semana, caso estejam inseridos em centros comerciais), e o comércio em geral a ter que encerrar portas até às 21h00 nos dias de semana e às 19h00 nos fins de semana.

A ministra da Presidência esclareceu ainda que nenhum concelho apresenta, por duas avaliações consecutivas, uma incidência superior a 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (ou 480 nos municípios de baixa densidade), o que significa que na “próxima quinzena não teremos nenhum concelho a regredir no desconfinamento”.

Não obstante, há 10 concelhos que ficam em alerta, podendo estagnar ou regredir na próxima avaliação. São eles: Albufeira, Alcanena, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé, Paredes de Coura, Santarém, Sertã, Sesimbra e Sintra.

O país continua assim a desconfinar a diferentes “velocidades” — tal como tem acontecido desde o início de maio — sendo que a generalidade dos 278 munícipios vão entrar na próxima segunda-feira numa nova fase de desconfinamento com regras mais aliviadas, nomeadamente para a restauração, eventos e comércio.

(Notícia atualizada às 15h17)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa e mais três concelhos não avançam para a nova fase de desconfinamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião