Vacina cubana de três doses com eficácia de 62% após segunda toma

  • Lusa
  • 20 Junho 2021

Uma das cinco vacinas experimentais cubanas contra a Covid-19 registou uma eficácia de 62% após a segunda toma nos ensaios clínicos em curso. É superior aos 50% exigidos pela OMS.

A vacina candidata cubana contra a Covid-19 atingiu uma eficácia de 62% após a injeção de duas das três doses previstas, um resultado que excede os 50% exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), anunciou o laboratório.

“Podemos informar que atingimos 62% de eficácia com a aplicação de duas doses da vacina (Soberana) 02”, um resultado “reconfortante” porque tem em conta as variantes que já circulam no país das Caraíbas, disse o diretor do Instituto de Vacinas Finlay, Vicente Verez, entidade que desenvolveu a vacina, aos meios de comunicação locais.

A OMS exige pelo menos 50% de eficácia para que seja aceite a vacina, acrescentou. “Dentro de algumas semanas teremos a última palavra sobre a eficácia das três doses, que esperamos serem mais elevadas”, afirmou.

Cuba trabalha há 13 meses em cinco vacinas candidatas, duas das quais, Soberana 02 e Abdala, completaram a terceira e última fase de testes. Os resultados, avaliados por uma comissão independente de especialistas cubanos, serão submetidos à autoridade reguladora para “fazer o pedido oficial de autorização de utilização de emergência” da vacina nas próximas semanas, disse o diretor adjunto do instituto, Yuri Valdez.

“Não temos sido capazes de investir todo o dinheiro e financiamento que o projeto necessitava, e mesmo assim temos resultados de classe mundial”, disse o presidente cubano Miguel, Diaz-Canel.

O anúncio chega numa altura em que a ilha está a ser atingida por uma nova vaga de casos. Desde o início da pandemia, registou 166.368 casos, incluindo 1.148 mortes. As autoridades lançaram uma intervenção de emergência sanitária com as duas vacinas candidatas na capital e em várias províncias em meados de maio.

Mais de 4,3 milhões de doses de Soberana 02 e Abdala foram administradas a partir de 16 de junho. Cerca de 2,1 milhões de pessoas receberam uma dose, quase 1,4 milhões duas doses e quase 794.000 três doses.

O Governo pretende que 70% da população de 11,2 milhões de pessoas sejam vacinadas até agosto, e toda a população até ao final do ano.

Cuba está sob embargo dos EUA desde 1962 e começou a desenvolver os seus próprios medicamentos na década de 1980. Das 13 vacinas do seu programa de imunização, oito são produzidas localmente.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Vacina cubana de três doses com eficácia de 62% após segunda toma

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião