BRANDS' PESSOAS Qual o segredo do sucesso nas fusões e aquisições?

  • PESSOAS + EY
  • 21 Junho 2021

Tânia Ribeiro, Senior Manager EY, People Advisory Services, fala da cultura e do talento como fatores-chave no sucesso destes processos.

A crise global resultante da pandemia teve impacto em toda a cadeia de valor das organizações, expondo vulnerabilidades, mas também revelando novas oportunidades. Depois da resiliência demonstrada na gestão das operações de curto prazo, os gestores estão agora a querer empreender mudanças estruturais em áreas essenciais do negócio. As fusões e aquisições (M&A) assumem aqui um papel preponderante para preparar o futuro e alimentar um rápido crescimento num mercado em recuperação.

O estudo da EY Global Capital Confidence Barometer refere que 49% das empresas planeiam aquisições nos próximos 12 meses, como forma de acelerar o crescimento no mundo pós-pandemia.

Se o crescimento futuro passa por M&A, é importante estarmos conscientes dos principais desafios associados, para os anteciparmos da melhor forma:

  • 70% dos processos de M&A não conseguem alcançar as sinergias desejadas;
  • 47% das key people da organização abandonam a mesma durante o primeiro ano após a M&A;
  • 85% das causas do insucesso de M&A residem na má gestão dos aspetos culturais.

"Um processo de M&A pode ser uma excelente oportunidade para a organização se transformar e ganhar vantagem competitiva no mercado, mas para tal, é essencial um investimento em todo o processo para se conseguir tomar as melhores decisões e mobilizar os colaboradores para o futuro.”

Tânia Ribeiro

Senior Manager EY, People Advisory Services

Através destes dados fica clara a importância do talento e da cultura, para se conseguir obter sinergias e garantir o sucesso desejado. Vamos por isso olhar para o processo de M&A na perspetiva dos Recursos Humanos (RH), através de três momentos essenciais:

  1. Realizar uma Due Diligence de RH. Para assegurar que as expectativas iniciais não são defraudadas, é essencial fazer um diagnóstico em profundidade da organização que se pretende comprar. A força de trabalho representa o principal custo e um enorme risco na execução dos processos de M&A. Para além dos custos fixos com as remunerações e benefícios é importante analisar os potenciais riscos associados a planos de pensões, litígios e reclamações de colaboradores ou reivindicações de sindicatos. O levantamento exaustivo da estrutura organizacional (governance, headcount, responsabilidades), da força de trabalho (caracterização sociodemográfica, competências, avaliações, etc.) e dos processos de suporte à gestão do talento, são a base para se perceber como ganhar sinergias no processo de fusão.
  2. Identificar as sinergias que se podem alcançar. Na perspetiva dos RH, existem duas grandes áreas onde é importante apostar. A primeira relaciona-se com o aumento da eficiência através do redimensionamento do modelo operacional, que garanta clareza em termos de governance, agilidade e entrega dos objetivos estratégicos. A segunda está associada com a aposta no talento enquanto vantagem competitiva. A saída de key people reduz a criação de valor durante a fusão. A solução é assim identificar quem são estas pessoas e perceber em que funções podem assegurar melhores performances e transferência de conhecimento. Criar um plano de retenção com bónus associado para esta população é uma prática com bons resultados práticos.
  3. Implementar um plano de integração eficaz. O day one é um marco simbólico importante. É essencial existir um projeto de gestão da mudança robusto, com um roadmap associado que agregue pessoas, processos e sistemas. A falta de compatibilidade cultural entre empresas é muito frequente e leva a comportamentos de guerrilha “nós versus eles” com consequências graves. Trabalhar aspetos culturais envolvendo todos os colaboradores e comunicar de forma clara e contínua é crítico para garantir alinhamento e reduzir a ambiguidade habitual destes momentos. Uma boa gestão interna irá permitir assegurar que os clientes e demais stakeholders se mantêm fiéis e a fazer parte do futuro da organização.

Um processo de M&A pode ser uma excelente oportunidade para a organização se transformar e ganhar vantagem competitiva no mercado, mas para tal, é essencial um investimento em todo o processo para se conseguir tomar as melhores decisões e mobilizar os colaboradores para o futuro.

Se tiver interesse, subscreva aqui as comunicações da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Qual o segredo do sucesso nas fusões e aquisições?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião