Uma em cada três casas vendidas no início do ano foi em Lisboa

Um terço das mais de 43 mil casas vendidas no primeiro trimestre foram em Lisboa. Capital tem vindo a perder peso, enquanto Alentejo tem vindo a ganhar.

Venderam-se mais de 43 mil casas entre janeiro e março, um número acima do observado no mesmo período do ano passado, mas que tem vindo a desacelerar. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), um terço de todas as habitações transacionadas no primeiro trimestre foram em Lisboa, tendo a capital concentrado quase metade do valor total transacionado.

Entre janeiro e março deste ano, transacionaram-se 43.757 habitações, mais 0,5% (+225) do que no mesmo período do ano anterior. Esta subida reflete “o crescimento expressivo observado no mês de março (27,5%), refletindo em grande medida um efeito de base devido à comparação incidir num mês já afetado pelos impactos económicos da pandemia”, refere o INE, no destaque desta quarta-feira.

Numa análise por regiões, em Lisboa foram transacionadas 14.713 casas, ou seja, 33,6% do total do país. Contudo, apesar deste peso, a capital tem vindo a perder quota. “Este foi o terceiro trimestre consecutivo em que se observou uma redução (-1,9 p.p.) no peso relativo desta região”, diz o INE.

O Norte aparece atrás de Lisboa, com 12.713 (29,1%) do total de casas vendidas, à frente do Centro com 8.541 (19,5%), que tem aumentado a sua quota há quatro trimestres consecutivos. Por sua vez, o Algarve registou 3.240 habitações (7,4%) transacionadas, enquanto o Alentejo se ficou pelas 3.035 (6,9%). O gabinete de estatísticas destaca que, pelo quinto trimestre consecutivo, o Alentejo aumentou a sua quota. Na Madeira venderam-se 909 (2,1%) casas e nos Açores 606 (1,4%).

Quase metade do valor das transações foi na capital

Em termos de valor, as 43.757 habitações transacionadas nos primeiros três meses do ano totalizaram 6,9 mil milhões de euros, um valor 2,5% acima do registado no mesmo período do ano passado. Deste total, 5,6 mil milhões foram habitações existentes e 1,3 mil milhões a habitações novas.

Em termos de regiões, a Área Metropolitana de Lisboa representou 45,6% do valor total das habitações transacionadas, num total de 3,16 mil milhões de euros. Um valor 2,2 p.p. abaixo face ao mesmo período de 2020.

Atrás aparece novamente o Norte, com 1,7 mil milhões de euros em alojamentos transacionados, seguido do Centro com cerca de 871 milhões de euros. O Alentejo, com um valor de 299 milhões de euros, (4,3% do total) apresentou igualmente um aumento da sua quota, enquanto o Algarve representou 9,4% do valor total das transações, correspondente a um decréscimo de 1,2 p.p. face a idêntico período do ano anterior. A Madeira regista 141 milhões de euros (2%) e os Açores 65 milhões de euros (0,9%).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Uma em cada três casas vendidas no início do ano foi em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião