Aeroporto de Lisboa escolhido para estudo de deteção de variantes Covid-19 em águas residuais

O aeroporto de Lisboa foi escolhido por se tratar de um grande centro de transporte numa zona de alta densidade populacional. Além do mais, tem ligação com diversas cidades internacionais.

O aeroporto Humberto Delgado, de Lisboa, foi um dos locais escolhidos pelo Joint Research Center (o serviço científico interno da Comissão Europeia) para a realização de um estudo preliminar para identificação de variantes do vírus SARS-CoV-2 (que causa a Covid-19) nas águas residuais da União Europeia (UE), segundo comunicado divulgado esta sexta-feira pelo Governo.

“Este trabalho prende-se com a futura criação de um sistema de vigilância regular da circulação do vírus SARS-CoV-2 e respetivas variantes e da definição de um sistema de alerta precoce, que se socorra da análise às águas residuais”, indica a nota do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Ao longo dos sete meses de duração do estudo serão recolhidas amostras e enviadas para laboratórios internacionais. A recolha destas amostras está a cargo da Agência Portuguesa do Ambiente e do grupo Águas de Portugal, mas os custos com a análise serão suportados pelo centro de pesquisa europeu.

De acordo com o comunicado, o aeroporto de Lisboa foi escolhido por se tratar de um “grande centro de transporte, inserido numa zona de elevada densidade populacional e com uma importante função de mobilidade”. Além do mais, é um aeroporto com ligação a várias cidades no Brasil, África, mas também com voos para a China, Estados Unidos e Índia.

“A decisão segue-se à publicação da Recomendação 2021/472” que o país já se encontra a preparar, segundo o gabinete do ministro do Ambiente.

Esta recomendação, que Portugal ajudou a escrever, pede aos Estados-membros que criem “o mais rapidamente possível e, o mais tardar, até 1 de outubro de 2021, um sistema nacional de vigilância das águas residuais orientado para a recolha de dados relativos ao SARS-CoV-2 e às suas variantes nessas águas” e explica como e o que tem de ser feito para esta análise.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Aeroporto de Lisboa escolhido para estudo de deteção de variantes Covid-19 em águas residuais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião