Preços das telecomunicações sobem 0,4% em maio

  • Lusa
  • 25 Junho 2021

O preço das telecomunicações em Portugal subiu 0,4% em maio, em termos homólogos, e 1,1% face a abril, divulgou a Anacom.

O preço das telecomunicações em Portugal subiu 0,4% em maio, em termos homólogos, e 1,1% face a abril, divulgou a Anacom.

No mês passado, “os preços das telecomunicações, medidos através do sub-índice do Índice de Preços do Consumidor (IPC), aumentaram 1,1% face ao mês anterior devido a aumentos de preços de algumas ofertas em pacote”.

Relativamente ao mês homólogo de 2020, “a variação de preços verificada foi de 0,4%”, adianta o regulador, no relatório de “Evolução dos preços de telecomunicações” referente a maio deste ano.

“Desde novembro de 2017 que a variação dos preços das telecomunicações em termos homólogos é inferior ao crescimento do IPC”, acrescenta a Anacom, apontando que “a taxa de variação média dos preços das telecomunicações nos últimos doze meses foi de -0,8%, ou seja, 1,0 ponto percentual abaixo da registada pelo IPC (0,2%)”. De acordo com o regulador, “esta redução de preços reflete a redução da mensalidade de algumas ofertas de banda larga móvel pós-pagas através de PC/Tablet e de algumas ofertas em pacote”.

Em maio último, “a taxa de variação média dos preços das telecomunicações em Portugal foi inferior à verificada na União Europeia (-0,7 pontos percentuais)”.

A Anacom refere que “a taxa de variação média dos últimos doze meses dos preços das telecomunicações em Portugal foi a 11.ª mais baixa (17.ª mais elevada) entre os países da UE” e o país “onde ocorreu o maior aumento de preços foi a Polónia (+5,8%), enquanto a maior diminuição ocorreu no Luxemburgo (-3,8%)”.

Assim, “em média, os preços das telecomunicações na UE diminuíram 0,1%”.

Entre 2009 e maio de 2021, refere a Anacom no relatório, “os preços das telecomunicações em Portugal aumentaram 8,1%, enquanto na UE diminuíram 9,7%”, sendo que “a diferença estreitou-se com a entrada em vigor no dia 15 de maio de 2019 das novas regras europeias que regulam os preços das comunicações intra-UE”.

O regulador salienta que “uma análise comparativa mais fina com alguns países da Europa de Leste, permite constatar que, entre o final de 2009 e maio de 2021, os preços das telecomunicações diminuíram 13,3% na Bulgária, enquanto na Hungria, em Portugal e na Roménia aumentaram 2,2%, 8,1% e 18,6%, respetivamente”.

Por empresas, a Anacom salienta que “as mensalidades mínimas são oferecidas pela Nowo em oito casos de um leque de 13 serviços/ofertas, enquanto a Meo, a Vodafone e a Nos apresentaram as mensalidades mais baixas para três, dois e um tipo de serviços/ofertas, respetivamente”.

Face a maio de 2020, “verificaram-se 25 variações das mensalidades mínimas de serviços/ofertas, sendo que 21 foram aumentos de preços e quatro diminuições”.

A Anacom destaca, “em particular, o aumento da mensalidade da oferta triple play [oferta tripla de telefone fixo, televisão e Internet] da Meo, Nos e Vodafone ocorrido em outubro e novembro de 2020 e das ofertas quadruple e quintuple play da Meo e Nos ocorrido em maio de 2021″.

O regulador refere ainda que, de acordo com o ICT price trends da UIT – União Internacional das Telecomunicações, “que pretende aferir a acessibilidade dos preços dos serviços de comunicações eletrónicas, os preços praticados em Portugal ocupavam em 2020 entre a 6.ª posição e a 25.ª posições no ‘ranking’ da U28, dependendo do tipo de serviço”.

Sublinha que, “para efeitos de comparação, a UIT utilizou perfis de consumo relativamente reduzidos e inferiores à média nacional”.

De acordo os dados do Eurostat, em termos absolutos, “em 2020, os preços das comunicações em Portugal encontravam-se 18,1% acima da média europeia”, sendo que as comunicações e o transporte pessoal são os únicos produtos em Portugal cujo nível de preços se encontra acima da média europeia”.

O preço das telecomunicações praticado em Portugal é um assunto que tem sido alvo de discórdia entre os operadores de telecomunicações e a Anacom.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Preços das telecomunicações sobem 0,4% em maio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião