Administração da Mota-Engil perde seis elementos para mandato 2021-2023

  • Lusa e ECO
  • 30 Junho 2021

Os acionistas da Mota-Engil elegera, em assembleia-geral, os membros do Conselho de Administração para o triénio 2021-2023, órgão que passa a integrar 14 elementos, menos seis do que até agora.

Os acionistas da Mota-Engil elegeram esta quarta-feira, em assembleia-geral, os membros do Conselho de Administração para o triénio 2021-2023, órgão que passa a integrar 14 elementos, menos seis do que até agora.

Em comunicado, a Mota-Engil refere que na reunião magna, “além dos pontos relacionados com a aprovação dos resultados anuais, foram também aprovados o Relatório sobre as práticas de Governo Societário, a declaração da Comissão de Vencimentos sobre a política de remuneração, a proposta para a aplicação dos resultados, assim como a eleição, para um novo mandato, dos membros do Conselho de Administração”.

De acordo com a informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), foram propostos para o Conselho de Administração António da Mota (atual presidente), Wang Jingchun, Gonçalo Martins, Carlos Mota dos Santos, Wang Xiangrong, Manuel Vasconcelos da Mota, Xiao Di, Maria Paula Mota de Meireles, Ping Ping, Tian Feng, Ana Paula Ribeiro, Francisco Seixas da Costa, Helena Pinto e Isabel Vaz.

Também em comunicado enviado à CMVM, a empresa informa que para o triénio 2021-2023 farão parte da Comissão Executiva: Gonçalo Moura Martins (Chief Executive Officer), Wang Xiangrong (Chief Financial Officer), Carlos Mota dos Santos, (Deputy-Chief Executive Officer), Manuel Vasconcelos da Mota e Xiao Di.

Na assembleia-geral, que decorreu no Clube Universitário do Porto, estiveram presentes representantes de 77,09% do capital social da empresa, tendo “todos os pontos sido aprovados por votações favoráveis superiores a 98,5298% dos votos emitidos”.

Aprovadas foram, assim, as contas da empresa e a proposta de aplicação dos resultados de 2020, que prevê que o prejuízo de 2020, no montante de 28.100.076,99 euros, seja transferido para a rubrica resultados transitados.

Em 27 de novembro do ano passado, a Mota-Engil anunciou ter concluído o acordo de parceria estratégica e de investimento com a China Communications Construction Company (CCCC) para a entrada do novo acionista no capital do grupo, que se traduziu na compra de 55 milhões de ações (cerca de 23%) ao preço de 3,08 euros por ação, num investimento de 169,4 milhões de euros.

(Notícia atualizada às 20h11 com a indição dos membros da Comissão Executiva para o triénio 2021-2023)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Administração da Mota-Engil perde seis elementos para mandato 2021-2023

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião