Efacec ganha contrato para construir central fotovoltaica da Mina Tó

A central será ligada à rede elétrica nacional no primeiro semestre de 2022. Tem capacidade para fornecer energia a cerca de 11 mil habitações e evitar a emissão de 17 mil toneladas de CO2 por ano.

Depois do sucesso da central de Mogadouro, com ligação à rede, em tempo recorde, a Smartenergy e a Edisun Power voltaram a eleger a Efacec para a central em Mina Tó, ainda em execução, que está instalada numa área de 56 hectares e vai contar com 43 mil painéis fotovoltaicos. A central será ligada à rede elétrica nacional no primeiro semestre de 2022, tendo capacidade para fornecer energia a perto de 11 mil habitações e evitar a emissão de 17 mil toneladas de CO2 por ano.

Anteriormente a Efacec já tinha sido a empresa escolhida pelo grupo suíço para a instalação de mais de 120 mil painéis fotovoltaicos em Mogadouro. É o maior projeto de sempre da empresa na área do solar fotovoltaico em território nacional. O projeto tem capacidade para fornecer energia a cerca de 20 mil habitações, evitando a emissão de 31 mil toneladas de CO2 por ano.

A Central Fotovoltaica em Mogadouro, com 49MW é a maior central solar PV de região norte de Portugal e é composta por 250 inversores, oito postos de transformação e uma capacidade de produção anual de 80.000MWh e foi instalada numa área de 65 hectares.

“A Central Fotovoltaica de Mogadouro é o maior projeto da Efacec na área da Energia Solar em Portugal, sendo um projeto muito relevante para o Norte de Portugal, nomeadamente pela proximidade à rede elétrica. Embora de menor dimensão, a Central Fotovoltaica de Mina Tó desempenhará um papel complementar. São dois projetos âncora em Trás-os-Montes que têm na base a aplicação de soluções inovadoras, assumindo uma forte relevância uma vez que potenciam a produção de energia renovável e sustentável, permitindo reduzir a pegada ecológica”, explica Ângelo Ramalho, chairman e CEO da Efacec.

Nas duas centrais a Efacec foi responsável pela conceção, procurement, instalação e colocação ao serviço das centrais. Em Mogadouro associada a uma subestação privada de 42MVA a 30/60kV e linha aérea de 60kV, que faz a interligação com a rede elétrica nacional, com potência máxima de 49MWp, pode injetar na rede até 42MVA. Enquanto na Mina Tó tem a subestação privada de 18MVA a 30/60kV e linha aérea de 60kV, que faz a interligação com a rede elétrica nacional. A Central, com potência máxima de 23,4MWp, pode injetar na rede até 18MVA.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Efacec ganha contrato para construir central fotovoltaica da Mina Tó

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião