Economia acelera na quarta semana de junho apesar de travão no desconfinamento

O indicador de atividade económica do Banco de Portugal aumentou na semana terminada a 27 de junho, face à semana anterior. O travão no desconfinamento não parece estar a afetar a economia ainda.

O indicador diário de atividade económica (DEI) do Banco de Portugal mostra que o crescimento da economia portuguesa aumentou na quarta semana de junho, face à semana anterior, numa altura em que os dados de 2021 já comparam com períodos de maior desconfinamento em 2020. Esta aceleração da atividade económica acontece numa altura em que o país está a travar no desconfinamento.

Na semana terminada a 27 de junho, o indicador diário de atividade económica (DEI) e a taxa bienal correspondente aumentaram face à semana anterior“, lê-se na nota divulgada pelo Banco de Portugal esta quinta-feira.

Como mostra o gráfico, o indicador tem apresentado crescimentos expressivos desde o final de março por causa de dois fatores: o processo de desconfinamento após o segundo confinamento no início deste ano e a muito baixa base de comparação de 2020 por coincidir com o primeiro confinamento. Porém, desde o início de junho que a taxa de crescimento tem vindo a desacelerar uma vez que gradualmente a base de comparação é maior por coincidir com o desconfinamento do ano passado.

Fonte: Banco de Portugal.

Agora entra em jogo um novo fator: com a subida de casos em todo o país, especialmente na Área Metropolitana de Lisboa, o Governo já impôs um travão no desconfinamento, alguns concelhos recuaram ligeiramente e ainda poderá haver mais recuos, o que poderá ter consequências na economia. Contudo, nestes números não é claro se esse efeito já é ou não visível.

Apesar de diário, o DEI é apenas publicado à quinta-feira, com dados até ao domingo anterior. Com efeito, a 27 de junho, o último dia para o qual foi apurado o DEI, o crescimento homólogo do indicador foi de 15,3%. Quanto à média móvel semanal, o último valor é o de 24 de junho: uma subida homóloga de 16,5%.

Neste momento, na comparação com a média dos últimos dois anos (2019 e 2020), o valor mantém-se em terreno positivo. A média móvel semanal do DEI acumulado de dois anos a 24 de junho foi de 1,6%.

Fonte: Banco de Portugal.

Independentemente da subida de casos, os números da economia indicam que haverá um salto expressivo do PIB no segundo trimestre. As previsões existentes para o segundo trimestre apontam para crescimentos de dois dígitos: no caso do ISEG, a variação em termos homólogos pode ficar entre os 14,5% e os 15,5% e, no caso da Comissão Europeia, aponta para os 13,5%. O Banco de Portugal calculou no último boletim económico que a expansão económica do segundo trimestre seja suficiente para mais do que compensar a contração do primeiro trimestre.

A próxima divulgação do DEI está marcada para 8 de julho, sendo relativa à última semana de junho.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Economia acelera na quarta semana de junho apesar de travão no desconfinamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião