Nas notícias lá fora: Hungria, Intel e Correos

Os subsídios do fundo de recuperação poderão chegar mais tarde à Hungria. Nas empresas, a Intel quer mais consolidação no mercado dos "chips".

As companhias aéreas do EUA estão a recuperar mais depressa do que as europeias. Nos fundos europeus, destaque para as divergências entre Bruxelas e Hungria. Nas empresas, a Intel quer mais consolidação no mercado dos chips. Estas e outras notícias marcam a atualidade internacional.

Financial Times

Companhias aéreas norte-americanas já tem lucros, mas as europeias acumulam perdas recorde

As companhias aéreas norte-americanas estão a voltar aos lucros mais depressa do que as suas congéneres europeias, graças à avultada ajuda pública, ao mercado interno muito maior e a um desenvolvimento relativamente rápido da vacina contra a Covid-19. Três das quatro maiores companhias aéreas norte-americanas registaram lucros no segundo trimestre do ano. Já a United Airlines, que ainda teve prejuízos, disse esperar regressar ao verde na segunda metade do ano. Esta rápida recuperação contrasta com a situação na Europa, onde as companhias continuam a registar perdas recorde devido à queda da procura.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês)

Reuters

Bruxelas quer atrasar PRR húngaro em dois meses

O financiamento do fundo de recuperação da União Europeia destinado à Hungria deverá chegar com atraso: a Comissão Europeia ainda está a avaliar o plano húngaro, que inclui 7,2 mil milhões de euros em subsídios, e não é claro quais serão os próximos passos a dar neste processo. De acordo com a Reuters, a Comissão pretende atrasar o plano em dois meses, o que está a provocar desconforto no Governo húngaro. O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, fala numa “guerra ideológica” com Bruxelas. No centro da disputa estão os processos de infração da Comissão contra a Hungria em torno de uma lei que, segundo a UE, discrimina a comunidade LGBT.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

The Wall Street Journal

CEO da Intel diz que é necessária maior consolidação no mercado dos chips

O presidente executivo da Intel defendeu a necessidade de uma maior consolidação na indústria de chips, isto dias depois de ter sido conhecido que o fabricante norte-americano está em negociações para comprar a GlobalFoundries por 30 mil milhões de dólares. “Vemos que os players mais pequenos não serão capazes de acompanhar”, disse Pat Gelsinger numa cal com analistas sobre os resultados da empresa. O responsável disse ainda que as empresas que não fabricam chips para computadores de menores dimensões “terão dificuldade” em concorrer.

Leia a notícia completa no The Wall Street Journal (acesso pago, conteúdo em inglês)

Expansión

Correos cria operador móvel virtual e cloud para setor público

A empresa pública espanhola Correos está a ultimar a criação de uma plataforma de armazenamento de dados na cloud, destinada às Administrações Públicas, mas que poderá ser aberta ao setor privado numa fase posterior. Além disso, a empresa, que está presente em Portugal através da Correos Express, pretende criar um operador móvel virtual para telecomunicações.

Leia a notícia completa no Expansión (acesso pago, conteúdo em espanhol)

MarketWatch

Zomato estreia-se na bolsa com subida de 82%

A startup Zomato levantou cerca de 94 mil milhões de rupias indianas (1,26 mil milhões de dólares) com a venda de 1,23 mil milhões de ações na Índia. Os títulos chegaram à bolsa esta sexta-feira e valorizaram até 82%, para 138 rupias, comparativamente com as 76 rupias a que foram vendidos na oferta pública inicial, onde a procura foi 38 vezes superior à oferta. A entrada do Zomato na bolsa é, por isso, um bom presságio para o setor tecnológico da Índia.

Leia a notícia completa na MarketWatch (acesso livre, conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Hungria, Intel e Correos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião