AHRESP defende que autarquias devem oferecer testes ou facilitar testagem

Associação afirma que algumas autarquias disponibilizaram testes gratuitos às empresas, que têm sido "especialmente fustigadas pelas medidas de controlo da pandemia".

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defendeu esta segunda-feira que as autarquias devem oferecer testes aos habitantes ou, pelo menos, facilitar os processos de testagem.

Em comunicado, a associação representada por Ana Jacinto afirma que “várias autarquias têm sido pioneiras nas políticas intensivas de testagem a moradores, mas também aos profissionais dos nossos setores” e que “algumas disponibilizaram mesmo testagem em horários adequados aos picos da restauração e testes gratuitos às empresas”.

Assim, a AHRESP defende que este deve ser o caminho a seguir pelas autarquias, uma vez que continua a ser necessário fazer teste (para quem não tem a vacinação completa) para aceder ao interior dos estabelecimentos. A associação “apela a que mais sigam o exemplo de ajudar estes setores de atividade, especialmente fustigados pelas medidas de controlo da pandemia”, refere o comunicado.

Desde ontem que os horários da restauração voltaram ao normal, mas os clientes sem certificado digital continuam a ter de fazer teste — no local — para poderem fazer as refeições no interior dos estabelecimentos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

AHRESP defende que autarquias devem oferecer testes ou facilitar testagem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião