Jornal Politico tentou vender ao Governo “conteúdos” para promover presidência da UE

  • ECO
  • 2 Agosto 2021

O objetivo da proposta do jornal digital Politico era "realçar o papel da presidência portuguesa da União Europeia", mas o Governo português rejeitou.

O jornal digital Politico propôs ao Governo português uma campanha de publicidade e “conteúdos” informativos para “realçar o papel da presidência portuguesa da União Europeia”, avança o Público (acesso condicionado).

A proposta foi enviada no final do ano passado, mas o Governo português não comprou nenhum serviço ao Politico. As propostas vão de “artigos multimédia” que custam 40 mil euros, aos anúncios digitais clássicos, como os retângulos paginados ao lado da manchete, que custam sete mil euros por dia.

O gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros disse, ao Público, que, por orientação do ministro Augusto Santos Silva, o ministério “não deu seguimento à iniciativa do Politico”. O Governo justifica que “se trataria de uma despesa sem justificação e porque o ministro entende que a cobertura noticiosa dos factos deve fazer-se pelo seu valor próprio, tal como jornalistas independentes o interpretam.”

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Jornal Politico tentou vender ao Governo “conteúdos” para promover presidência da UE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião